Sábado, 24 de Junho de 2006

Lingua e Cultura nos meados do sec. XX(3)

 

 (CONTINUAÇÃO)
 
Babado- Molhado de baba. Fam. Apaixonado, enamorado por alguém.
Babadouro- Resguardo de pano ou de borracha que se coloca em volta do pescoço das crianças a fim de que a baba ou comida lhes não suje a roupa. Babeiro.
Bacalhau- Peixe da família dos gadídeos, com grandes qualidades alimentares e muito utilização na alimentação.
Bacelo- Vara com que se reproduz a vinha por meio de plantio.
Bacia- Vaso redondo e largo, afunilado, de bordas largas, de louça ou metal, que tem várias utilidades domésticas, principalmente para lavar a cara, as mãos e os pés. Vale côncavo, largo, cercado de montanhas. Conjunto de vertentes em torno de um rio e seus afluentes. Porção do esqueleto que constitui a parte inferior do tronco. Bacio de cama.
Bacio- Vaso de noite. Penico*.
Baço- Órgão da cavidade abdominal, situado no hipocôndrio esquerdo.
Bacoco- Palerma, pacóvio, ingénuo.
Bácoro- Porco novo capado, com a idade dos três meses para cima. Leitão.
Badalhoca- Bola de excrementos e terra que se forma na lã das pernas das ovelhas. Fig. Mulher porca, repugnante.
Badalo- Haste de ferro com uma bola na ponta, suspensa no interior do sino, sineta ou campainha.
Badameco- Rapazote, fedelho. Homem sem importância.
Badana- Ovelha velha e magra com mais de três anos. Carne de ovelha velha.
Badejar- Limpar o trigo com o crivo para tirar algumas impurezas.
Bafio- Cheiro desagradável, derivado de humidades ou falta de renovação de ar.
Bagaceira- Cova, tulha, lugar onde se guarda o bagaço. Cova de bagaço*. Aguardente de bagaço de uvas.
Bagaço- Resíduos dos frutos que foram espremidos para lhes extrair o suco. O bagaço da azeitona, que se guardava nas covas de bagaço, era utilizado na alimentação dos porcos, das galinhas, nas lareiras e na adubação das terras.
Bagalhoça- Pop. Muito dinheiro.
Baganha- Película que envolve a semente do linho ou de outras. Grainha da uva. Casulo
Bagatela- Coisa de pouco valor ou inútil. Quantia insignificante.
Bago- Cada um dos frutos do cacho de uvas. Outros frutos redondos e carnudos semelhante à uva. Qualquer grão miúdo e redondo. Dinheiro.
Bagulho- Grainha das uvas depois de pisadas.
Baile- Ajuntamento de pessoas para dançar. Dança.
Baiuca- Casa pequena e miserável. Taberna frequentada por gente do povo.
Balança decimal- Instrumento para pesar vários produtos. Na pesagem usam-se pesos.
Balança- Instrumento que determina o peso relativo dos corpos. Serve para pesar produtos.
Balança romana- Destina-se a pesar porcos ou produtos pesados.
Balancé- Baloiço*.
Balde- Vaso de madeira ou de metal de forma quase cilíndrica para transportar água e outros usos domésticos e para tirar água dos poços com a ajuda da picota*.
Baldio- Maninho*, inútil, sem proveito. Terreno inculto.Trato de terreno sem dono ou inculto a que vulgarmente chamam maninho ou baldio. Terreno completamente desaproveitado.
Balho- O mesmo que baile*. Bailo.
Baloiço- Corda ou tábua suspensa em que as crianças se balançam.
Balsas- Sebe de ramos ou silvas*.
Banco- Prancha grossa assente em 4 pés que serve para matar o porco. Móvel, com ou sem encosto, para servir de assento. Cepo de ferrador.
Bandeira- Panícula* do milho. Costumava-se ser cortada para o grão da espiga engrossar.
Bandulho- A barriga, os intestinos. Encher o bandulho: comer em demasia.
Banha- Gordura de animais, e em especial a de porco. Em regra, era obtida mediante o derretimento do rissol(parte gorda que envolve o intestino) e do toucinho gordo do porco. Do mesmo derretimento resultavam os torresmos. Muito utilizada na cozinha tradicional, conservava-se em potes chamados de banha, também conhecidos por tigelas de banha.
Baraça- cordel, guita, corda delgada com que jogava o pião e servia o pôr em movimento.
Baracinho- Baraço pequeno.
Baraço-do ár. maras=cordel, Cordel.
Barbante- Cordel*.
Barbela- Pele pendente do pescoço dos bovinos. Dobra de gordura por debaixo do queixo. Prega. Extremidade farpada da agulha de meia ou de renda.
Barbicacho- Cabeçada de corda*. Cabresto* para calvaduras. Berbicacho. Fig. Embaraço; Dificuldades.
Barbilho- Espécie de saco ou de açame* de corda de esparto*que impede os animais de tenra idade de mamar ou comer. Pequeno pau de madeira que se atava na boca das crias das cabras para que não pudessem amamentar-se. P. ex. Os cabritos* até um mês.
Barca- Lugar habitado da freguesia de Mouriscas, sita junto ao rio Tejo. Havia uma barca que servia para transportar pessoas e bens entre Mouriscas/ Alvega e Concavada/Mouriscas.
Barco- Designação genérica de qualquer embarcação sem coberta.
Bardo- do lat. bardu, Renque de vides* ligadas por estacas ou arame. Curral mudável onde pernoita o gado* para estrumar a terra. Redil.
Barranco- Lugar cavado por enxurradas. Ribeiro, côrrego.
Barranhão- Recipiente de madeira onde se preparava a comida para os porcos. Alguidar.No Alentejo era uma espécie de celha, em folha de zinco, onde se confeccionava a açorda para o almoço dos ceifeiros.
Barrar- Cobrir com barro, rebocar, cobrir com creme, manteiga, ... . Barrar: presuntos com massa feita com vinagre e pimentos.
Barrasco- Porco de mais de um ano, destinado à cobrição*.
Barreira- (de barro), Lugar onde se tira o barro*. Barreiro. Terreno argiloso. Trincheira, obstáculo.
Barrela- Operação de passar a água quente por cinzas para branquear a roupa*.
Barrica- Pequena vasilha em forma de casco ou pipa.
Barrigada- Pançada, fartadela de comida. Gravidez.
Barril- Pequena vasilha feita de aduelas. Bilha de barro de grande bojo, de gargalo estreito e com duas asas.
Barro- Argila. Terra amassada própria para trabalhos de olaria e para a construção civil. As paredes e divisões das habitações eram feitas de pedra, tijolo, cal e barro ou só barro.
Barroca- do ár. burca=mau solo de areias, Passagem funda entre penedos/paredes ou barrancos. Rx. Caminho da barroca da missa: caminho que liga o lugar de Casas Pretas e o Casal da Igreja, da nossa freguesia de Mouriscas.
Barrote- Trave grossa e curta que sustém tectos, soalhos, tábuas, ... .
Báscula- Balança décimal.
Basculho- Vassouro de cabo comprido para limpar tectos, paredes, ... .
Bata- Roupão abotoado à frente que se veste por cima da roupa usual. .
Batata- Fruto da batateira*. Nariz muito grosso. Quando as batatas grelam em casa é sinal de que crescem os bens. Para sarar pequenas queimaduras, envolvem-se estas com batatas cruas esmagadas e uma mistura de azeite.
Batata-doce- Planta vivaz de tubérculos comestíveis de polpa tenra e açucarada.
Besta- do lat. bestia, Quadrúpede. Animal de carga era conduzido por almocreves, que era uma ocupação muito divulgada. Sobre o dorso dos animais de carga colocavam-se alforges* e ceirões*. Os machos e as mulas eram os animais de carga por excelência e muito utlizados pelos moleiros.
Batateira-  Solanum tuberosum L, Planta solanácea com tubérculos subterrâneos comestíveis chamados batatas.
Bate-cu- Queda em que se fica sentado.
Batedouro- Pedra em que se bate a roupa ao lavá-la. Lavadouro.
Bátega- Pancada de água, grande aguaceiro.
Bateira- Pequena embarcação sem quilha.
Batelada- Grande quantidade de objectos.
Batente- Ombreira onde bate a porta quando se fecha. Aldavra.
Batida- Acção de bater o mato, com o fim de forçar a caça a levantar-se. Batida à lebre e javali.
Beata- Mulher excessivamente devota ou que finge sê-lo. Ponta de cigarro já fumado.
Bebedeira- Estado de embriaguez, borracheira.
Bebedouro- Lugar, vaso, pia ou tanque onde os animais bebem água.
Bêbera- do lat. bifera=produz duas vezes por ano, Figo preto e alongado duma variedade de figueira* chamada bebereira. Figo lampo*.
Bebida- Qualquer líquido que se bebe.
Bedame, Formão estreito e comprido usado pelos carpinteiros. Badame.
Bedelho- Tranqueta ou ferrolho de porta que se levanta por meio da aldrava*; rapazelho. Criançola.
Beiça- Amuo, desapontamento.
Beirado ou beiral- Beira do telhado. Parte do telhado que faz saliência sobre o prumo das paredes.
Belancia- O mesmo que melancia*.
Beldroega- do latim portucala, planta portulácea, cujas folhas são comestíveis.
Pesquisa e Texto de : Carlos Bento, Etnólogo e Prof. Universitário.
(CONTINUA)

 

publicado por casaspretas às 16:57
link do post | favorito
Terça-feira, 13 de Junho de 2006

Lingua e Cultura nos meados do sec. XX(2)

 

(Continuação)

Asado- Cântaro de barro com duas asas, de boca larga, destinado a guardar a água de beber e os mais pequenos para conservar o leite, para coalhar o queijo e guardar, em azeite, os queijos depois de secos e os chouriços depois de fumados. Sobre o asado da água costuma estar um pratinho chamado texto e sobre este um púcaro Qualquer pote de barro munido de duas asas laterais verticais.

Aselha- Diminutivo de asa. Presilha de fita ou cordel. Pequena asa de cesta ou de ceira. Pessoa desajeitada, desastrada.

Assadeira- Utensílio em arame destinado a assar sardinhas, carapaus e até enchidos.

Assado- Processo de cozedura de um alimento em que se utiliza a acção directa ou indirecta do fogo, normalmente sem a ajuda de um líquido.

Assador- Recipiente para assar. Espécie de panela de barro, baixa, com asas e buracos para assar castanhas

Assalhão- Pedaços de carne de porco fevrada assada no dia da desmancha.

Assedar- Limpar o linho nos sedeiros*.

Assento- Objecto ou sítio em que as pessoas se assentam; banco, cadeira, poial, sofá, ...

Assobio- Pequeno instrumento para assobiar. Som agudo expelido dos lábios.

Assoprador- Cana curta com que assopra o lume da lareira, para o atiçar. Canudo*.

Astrever- O mesmo que atrever.

Atabafar- Abafar. Respirar com dificuldade.

Atafal- do ár. athafar, Cinta larga, franjada, que prende dos lados da sela ou albarda, passa debaixo da cauda da besta e serve de retranca*.

Atafegar- Abafar. Sufocar. Apertar. Atefegar.

Atafona- do ár. at-tãhuna= moinho, Engenho de moer grão, movido manualmente ou por cavalgaduras. Azenha*.

Atafulhar- Meter à força. Empanturrar-se.

Atamancar- Consertar ou remendar mal e à pressa. Renediar.

Atanaz- Corruptela de tenaz. Instrumento de ferro, em forma de tesoura, utilizado para agarrar as brasas da fogueira e atiçar o lume

Atarracar- do ár. tarraka=martelar, Preparar, martelando, os cravos e a ferradura, para a colocar no casco. Apertar muito, arrochar.

Atarraxar- Apertar com tarraxa. Aparafusar.

Atascado- Metido em lama ou substância mole, peganhenta.

Atefegar- Forma popular de atafegar. Abafar, sufocar.

Atilho- Qualquer fitinha para atar: cordel, barbante, nastro, cardaço, atacador, cordão, guita, ... .

Atolado- Atoleimado. Metido em atoleiro*.

Atoleiro- Lodaçal. Terreno pantanoso. Lamaceiro. Lamaçal

Atravancar- Estorvar, empecilhar, encher.

Atravanco- Empecilho, estorvo, embaraço. De atravancar*.

Atulhado- Completamento cheio; em que já não pode caber mais. Cheio, repleto.

Áugua- Corruptela de água.

Auguados- Que tem água em excesso. Aguados.

Avantesma- Fantasma. Almas penadas.

Ave- Vertebrado ovíparo, de sangue quente, respiração pulmonar, com bico desdentado e corpo coberto de penas. As aves mais comuns, na região, até 1950: alvéola, andorinha, calhandra, carricinha, cartaxo, cotovia, gaio, pintassilgo, melro preto, pardal, pisco-de-peito ruivo, pisco-ferreiro, galeguito, passareta(felosa das figueiras?), rabeta, rouxinol, tentilhão, tordo, toutinegra, verdelhão, .guarda-rio, tordo, felosa, rouxinol, estorninho, pintarroxo, poupa, abelharuco, andorinha, toutinegra, moscanho, migengra(chapim), picanço, corvo, galinhola, perdiz, narceja, codorniz, rola, pombo bravo, milheirita, peneireiro, grifo, águia, sentieira, mocho, coruja, ... .

Aveia- Avena sativa,L, Planta gramínea que constitui em verde uma excelente forragem para o gado. Quando cozida com vinagre, em cataplasmas quente, serve de analgésico em pontadas e cólicas. o grão dessa semente.

Avelar- Engelhar, enrugar por ter secado a casca.

Avenca- Planta, espontânea, polipodiácea medicinal também chamada capilária. Cresce em lugares húmidos designadamente nas paredes interiores dos poços. Na medicina popular usa-se para combater as anginas, a bronquite, a tosse e queda de cabelo.

Avental- Peça de pano, de couro ou outro material que as pessoas ocupadas em certos trabalhos põem diante do fato para o resguardar.

Aventar- Deitar ou atirar fora algo. Ventilar. Agitar ou atirar ao ar para limpar(cereais).

Avezado- Que tem vezo*, habituado, acostumado.

Avezar- Habituar, acostumar. Quando se lembra uma alma do outro mundo, deve rezar-se-lhe um Padre-Nosso e dizer: Toma lá este, mas não é para avezar.

Avoar- Voar.

Avrajar- O mesmo que varejar*. Uma maneira de apanhar a azeitona que se faz com a ajuda de varas compridas e delgadas,  feitas de oliveira, castanho ou eucalipto.

Axe-ou aixe, Pequeno ferimento ou dor.

Azar- Má sorte, infelicidade, infortúnio.

Azebre- Substância verde que se forma na superfície dos objectos de cobre exposto ao ar húmido. Verdete. Zebre.

Azeda- Género de plantas herbáceas, da família das poligonáceas, de gosto ácido, com propriedades refrescantes, depurativas e diuréticas. Provoca diarreia no gado.

Azedar- Tornar azedo, amargo, estragar.

Azeitar- Temperar com azeite, deitar azeite em algo.

Azeite- do ár. azzeit, Substância líquida e gordurosa que se extrai da azeitona* que se emprega na alimentação, na iluminação, na lubrificação, farmácia, ... . Estar com os azeites: estar mal humorado, irritado.

Azeitona- do ár. azzeituna, Fruto da oliveira* donde se extrai o azeite. A sua colheita era normalmente feita por ranchos constituídos por homens e mulhres, muitos deles vindo de fora da terras, da zona do pinhal. . Guardada-se em banhos, potes e talhas de barro Dar boa funda: Significa que a azeitona deu muito azeite, por exemplo, um alqueire(20 litros) dar 2 ou mais litros. Azeitonas sapateiras: Azeitonas de conserva que foram mal preparadas ou são velhas e têm gosto e cheiro a sola.

Azeitoneira- Prato ou travessa em que se servem as azeitonas.

Azêmola- do ár. azzâmmila, Besta de carga, cavalgadura. Pessoa estúpida, sem préstimo.

Azêmala.

Azenha- Moinho hidráulico que em vez de rodízio* tem uma roda pela parte de fora, sobre a qual cai a água que lhe dá movimento ... . É de origem árabe e emprega-se na moenda de cereais, azeitona, impulsionado pelas águas dos rios, ribeiras, elevadas por meio de açudes, represas, ... . ( Portugal-Diccionario,Histórico, ... ; II, 1909, 31). Acenha: Corruptela de azenha.

Azenha Nova- Lugar habitado da freguesia de Mouriscas.

Azevinho- Plantas arbustiva cujas folhas apresentam espinhos.

Aziago- Dia de infelicidade, que traz desgraça. Nefasto.

Ázimo- Diz-se do pão sem fermento. Azedo.

Azinheira, azinheiro ou azinho- Árvore ou arbusto da família das cupulíferas, espontânea ou cultivada em todo o país, cujo o fruto é a bolota.

Pesquisa e Texto de : Carlos Bento, Etnólogo e Prof. Universitário.

(Continua)

publicado por casaspretas às 18:41
link do post | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. Linguagem e Cultura nos m...

. Linguagem e Cultura nos m...

. Linguagem e Cultura nos m...

. Linguagem e Cultura nos m...

. Lingua e Cultura nos mead...

. Lingua e Cultura nos mead...

. Lingua e Cultura nos mead...

. Língua e Cultura nos mead...

. Língua e Cultura nos mead...

. Lingua e Cultura nos mead...

.arquivos

. Março 2008

. Novembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Outubro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Abril 2006

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds