Sexta-feira, 15 de Junho de 2007

Linguagem e Cultura nos meados do dec. XX(10)

 

(Continuação)

 

Covil- Local onde se acoitam as feras. Local onde se ocultam a lebre e o coelho bravo. Taloca, toca.
Covo- Côncavo, fundo. Gaiola usada na pesca. Em Mouriscas existe o casal de Vale Covo, sito na margem direita da ribeira do Rio Frio, perto da sua confluência com o rio Tejo.
Coxim- Espécie de sofá, formando leito, sem costas, com fundo fofo e delgado. Parte da sela em que se assenta o cavaleiro.
Coxo- Aquele que coxeia ou manqueja. Manco.
Cozer- Preparar ao lume, especialmente, alimentos; submeter à acção do calor: cozer o pão no forno; Fazer ferver em água: cozer couves, .... . Sofrer a acção a acção do lume, da água a ferver, do calor.
Cozido- Que teve cozedura, que cozeu, que ferveu. Prato composto de alimentos cozidos. Cozido à portuguesa: o prato de culinária composto de carne de vaca e de porco( chispe,, orelha, ... )chouriço, farinheira e outros enchidos, toucinho, presunto, batatas, cenouras, nabos e várias hortaliças, tudo cozido demoradamente a fogo lento e servido juntamente com arroz, também cozido.(G.E.P.B., 7, 981)
Cozinha- Compartimento de uma casa onde se preparam os alimentos. Preparação da comida. Arte de preparar os alimentos.
Cozinhar- Preparar, cozer alimentos ao lume.
Cozinheira- Mulher que se ocupa da cozinha*. Mulher que cozinha nas festas do baptizado e do casamento, cujas refeições eram servidas em casa dos pais .
Crava- Indivíduo que é useiro e vezeiro em pedidos de dinheiro, cigarros, ... .
Cravanço- Acção praticada pelo crava*.
Craveiro- Planta de jardim cuja flor é o cravo.
Cravelho(a)- Peça de madeira com que se fecha a porta do curral dos animais.
Cravo- Prego de cabeça saliente e larga empregado, especialmente, para fixar as ferraduras* das bestas. Flor do craveiro. Condimento utilizado na cozinha. Instrumento de corda. Verruga*.
Cré- Greda branca.
Crecer- O mesmo que crescer.
Creolina- Substância anti-séptica, extraída do alcatrão, com cheiro muito activo, com que desinfectavam as cercas dos porcos, e outros locais doentios para os animais domésticos.
Crepitar- Produzir uma série de estalidos, com a lenha mato ou sal que arde.
Crescente- Que cresce, aumenta, se desenvolve. Massa de pão atrasada, utilizada como fermento, na massa de pão que se deixa a levedar. Fermento do pão. Fase da lua.
Crescido- Desenvolvido, aumentado, grande em altura.
Crescidos- Sobra, sobejos de comida com que se faz uma nova refeição. Desenvolvidos, aumentados.
Crestar- Queimar levemente, chamuscar. Extrair o mel das colmeias, colhendo parte dos favos.
Cria- Animal recém-nascido, de mama.
Criação- Geração. Conjunto dos seres criados. Produção dos animais domésticos que servem para a alimentação do homem.
Criada- Mulher ou rapariga assoldadada para os serviços domésticos duma casa, pessoa ou estabelecimento.
Criadeira- Que cria bem. Ama de leite.
Criado- Que se criou, produzido, alimentado, gordo, educado. Homem ou rapaz contratado para os serviços domésticos ou agrícolas.
Criança- Ser humano que se começa a criar*. Menino ou menina. Diz-se da pessoa ingénua ou de pouco juízo.
Criar- Dar existência a . Originar, gerar, produzir, alimentar, sustentar, amamentar, educar. Encher- se de pus.
Criatura- Cada um dos seres criados. Homem ou mulher, indivíduo, pessoa.
Crina- Pêlo comprido do pescoço e da cauda do cavalo, bem como de outros animais.
Crista- Excrescência carnosa na cabeça de certos galináceos.
Crivar- Passar por crivo, joeirar, furar em muitos pontos. Encher. O tio Manel ficou crivado de mordidela de abelhas.
Crivo- Espécie de peneira de arame para limpar, joeirar, o grão dos cereais e outros grãos. Colocados dentro do crivo a pessoa que o empunha provoca movimentos laterais ou circulares, separando os resíduos mais finos e pesados dos mais leves e mais volumosos. É constituído de um aro circular em madeira e o fundo em espiral, de arame entrelaçado, firme, que fica seguro na bordadura(com dois reforços em madeira) num dos reforços, podendo o mesmo fundo também ser de chapa de zinco com crivos, mas pouco usual na nossa região. Joeira.
Cru- Que não está cozido, que não sofreu a acção do lume ou calor. Sem preparação, que ainda não tem cultura. Cruel, desumano, áspero, rude. Pano cru: tecido de algodão que não foi corado depois da tecedura.
Cubo- Cada uma das cavidades que, nas rodas hidráulicas, recebem a água que as põe em movimento. Cale* coberta que leva a água ao rodízio*.
Cuco- Ave trepadora do género cuculo, de penas escuras. Alimenta-se de insectos e larvas prejudiciais à agricultura. Põe os ovos em ninho alheio. Chega a Portugal nos meados e Março e parte em Julho.
Cucúrbita- Parte inferior do alambique que recebe as substâncias a distilar. Abóbora.
Cueiro- Pano em que se enfaixam as criancinhas, especialmente, a parte das nádegas.
Cultivar- Fazer na terra os trabalhos necessários para a tornar fértil. Amanhar, granjear Formar, dedicar-se, consagrar-se a.
Cultivo- Amanho, cultura, cultivação.
Cumeada- Série se cumes. Lugar habitado da freguesia de Mouriscas.
Cumeeira- A parte mais alta do telhado. A trave do cume do telhado.
Cunca- Conca, escudela, malga, tigela. Patela*, pedra ou coisa equivalente para jogar à malha.
Cunha- Instrumento de ferro ou de madeira, para fender pedras, madeira, ... .
Danado- Que tem raiva. Danado, irritado, irado.
Debulha- Operação que consiste na separação das espiga dos grãos de milho, trigo, centeio, cevada ou aveia, ou das vagens secas o feijão ou grão de bico, trabalho feito nas eiras ou em casa. Ver malha*.
Decer- Corruptela de descer.
Décima- Imposto que se pagava pelos rendimentos havidos.
Dedal- Pequeno cilindro de metal ou outra matéria que uma pessoa que costura coloca na extremidade do dedo para empurrar u fundo da agulha. Pequena quantidade.
Dedeira- Couro que envolve o dedo indicador ao fazer-sr o serviço da ceifa.
Dejua- A 1ª refeição do dia. Desenjum.
Demão- Camada delgada de cal, tinta ou de qualquer outro material fluido ou pastoso, que se estende a pincel ou à brocha, sobre uma superfície, seja parede, porta, ... .
Demasia- O que é demais, excesso, sobejo, troco*.
Dente- Cada um dos orgãos cobertos de esmalte, engastados nas maxilas, que servem para a mastigação dos alimentos. Dente ou dental: Parte do arado que serve de base ao instrumento composta por : o ferrão, ferro ou folha, placa de ferro colocada na parte anterior do dente e que o reveste, evitando o seu desgaste; as aivecas, uma ou duas, de madeira ou de ferro; o mexilho, haste de ferro ou de madeira que ampara e conserva abertas as aivecas; o teiró ou ateiró, peça de pau ou de ferro que prende o dente ao temão e que serve também para regular a profundidade da lavra; e o pescaz, cunha que serve para segurar ou fixar o ateiró.
Dentuça- Dentadura. Dentes.
Depurar- Tornar puro, limpar, clarificar.
Derreado- Curvado, alquebrado, muito cansado, extenuado
Derregar- Tornar líquido um corpo sólido por meio do calor ou outro agente. Liquefazer-se, derreter.
Derriço- Pessoa que namora: namorado ou namorada.
Derruba- Acção de derrubar, deitar árvores abaixo. Derrube.
Desabado- Que desabou, se desmornou, caiu, abateu.
Desabafo- Dizer francamente o que pensa, dar largas ao sentimento reclacado.
Desabotoar- Fazer sair os botões das casas. Desapertar*.
Desapear- O mesmo que apear, descer.
Desapegar- O mesmo que despegar. Separar-se, desprender-se, soltar-se.
Desapertar- Desligar, desatar, desabotoar*.
Desaprender- Esquecer o que se aprendeu.
Desarvorado- Desordenado, sem direcção definida.
Desasado- De asas caídas ou quebradas, derreado*.
Desatilado- Que não tem tino, adoidado, desatinado.
Desatolar- Tirar do atoleiro, desatascar.
Desatravancar- Desobstuir, desocupar, desembaraçar.
Desatrelar- Tirar da trela, soltar, desprender, desligar.
Desavezar- Tirar o vezo a, desabituar-se, desacostumar-se.
Desbagoar- Tirar bagos nos cachos de uvas. Esbagoar.
Desborcelado- Vaso de barro com as bordas ou borcelos partidas.
Desbotado- Que perdeu a cor ou o brilho. Desmaiado, descorado. Botado
Desbotar- Perder a viveza da cor, diminuir o brilho.
Descabeçar- Diminuir a altura, encolher, baixar.
Descamisada- É a operação que consiste tirar as camisas, folhelho ou capa às maçarocas do milho, trabalho efectuado, geralmente, à noite, por grupos de rapazes e raparigas convidados para o efeito. Desfolhada.
Descante- Canto especialmente popular, de várias vozes, acompanhados de instrumentos de música, que se fazia depois das ceifas e da apanha da azeitona.
Descarapuçar- Tirar a carapuça, destapar, descobrir-se ou desbarretar-se.
Descargar- O mesmo que descarregar e descarnar.
Descarnar- Separar os ossos da carne.
Descarolar ou escarolar- Tirar, com as mãos o grão de milho da espiga, separando o grão do carolo*.
Descodear- Tirar a côdea a: descodear o pão.
Descolhar- Corruptela de descoalhar ou descoagular. Derreter, tornar líquido. Descolhar o azeite: No Inverno, tempo de frio intenso, torná-lo líquido com a ajuda do calor.
Desembarrigado- Quem tem a barriga ou roupa interior à mostra por trazer a camisa ou as calças mal apertadas. Desbarrigado.
Desenbandeirar- Cortar as bandeiras do milho. Desbandeirar. Descanar, descapelar.
Desencamisada- Acção ou efeito de descamisar o milho. Descamisada*.
Desenganchado- Tirar do gancho. Tirar o gancho ou ganchos.
Desengonçado- Que saiu dos gonzos ou estes estão em mau estado. Desconjuntado, desarticulado, desajeitado.
Desenvergonhado- O que não tem vergonha, insolente, descarado, desaforado. Desavergonhado.
Desenxaivido- O mesmo que desenxabido. O alimento que não tem sabor, que é insípido, que não tem sal.
Desfolhada- Descamisada do milho. Esfolhada.
Desmaio- Perda de sentidos, geralmente, de curta duração. Enfraquecimento, perda de cor.
Desmancho- Desarranjo, avaria, desordem. Aborto.
Desmazelo- Desleixo, incúria, desalinho.
Desmoutar- Cortar, arrancar as moitas, roçar, desbravar.
Desnocar- Corruptela de esnocar. Tirar da articulação, esgalhar, quebrar os ramos.
Desougar- O mesmo que desaugar e desogar.
Destilar- Separar pelo calor, em vasos fechados, a parte volátil de uma substância da parte fixa: desilar os figos secos e recolher a aguardente.
Destilaria- Fabrica de destilação. Lugar ou instalação de alambiques. Existiram em Mouriscas pelo menos duas destas fábricas artesanais, que transformavam os figos secos em aguardente.
Destinar- Reservar para um certo fim, determinar antecipadamente. Destinar o almoço ou jantar para amanhã.
Destrambelhado- Disparatado, desnorteado, desorganizado, amalucado.
Destravado- Amalucado, desvairado. Soltar, desligar o travão.
Diluir- Misturar com água. Desfazer num líquido, dissolver.
Dinheiro- Qualquer espécie de numerário que serve de intermediário na troca de produtos.. Bens, posses, riqueza.
Dobadoura- Aparelho simples e pouco pesado, transportável, feito de madeira de pinho, castanho ou outras, que serve para dobar fios.
Doçaria- Lugar onde se fabrica ou vende doces. Arte de fazer doces.
Dono- Aquele que tem ou possui alguma coisa. Proprietário.
Doutor- Penico, bacio.
Ecalitro- Corruptela de eucalipto.
Eira- Espaço, de forma circular, para malhar os cereais, feijão, ... , e secar figos e outros frutos. De forma circular, com um diâmetro de 7 ou 8 de metros, de terra batida, de cimento ou de calçada com pedra lousinha ou conhos(calhaus rolados) ligados com cal, dependendo a natureza da sua construção das posses económicas de cada lavrador. No primeiro caso, para a sua construção escolhe-se um terreno duro, bem exposto ao sol e ao vento, que depois é barrado com bosta de bovino, que depois de seca permite que nele se malhe e se varra. A bosta de boi não é tida por imunda. Com ela também se barra a porta do forno. Isto porque o boi é bento. O centro da eira era um pouco mais elevado para facilitar o escorrimento das águas. Em volta da eira construía-se uma parede/muro, com cerca de 0,50 metros, que servia de resguardo e evitava que a palha e os grãos saíssem da mesma. No Inverno tapava-se com palhiço de modo a evitar que a geada fizesse estalar a chão.
Eirado. O pão que está na eira pronto para ser malhado em cada dia.
Em bem não- Daqui a pouco, daqui a nada. Espere um pouco que os homens em bem não estão aí.
Embaçar- Entupir, tapar, embuchar. Este marmelo embaçou-me.
Embarrar- Dependurar. Feijão de embarrar: aquele que cresce muito, verticalmente, com a ajuda de canas enxeridas na terra.
Embeiçar- Estar unido com. Atrair a simpatia, o amor. Enlevar, apaixonar.
Embirrar- Birrar, ter e fazer birras, implicar. Ter aversão a, antipatizar com pessoa ou coisa.
Emborcar- Virar para a boca, entornar, beber, despejar para dentro da boca. Pôr- se borco, virar-se de cima para baixo.
Embraçar- Suspender, suster com braçadeira. Embraçar cebolas: colocá-las em braços, isto é, agrupá-las com a ajuda da rama seca e de um baraço que são entretecidos ou entrançados.
Embriaguez- Estado de uma pessoa embriagada, cuja razão está perturbada pela absorção de vinho, álcool, ... .
Emolhar- Juntar em molhos os cereais ceifados. Enmolhar.
Empalamado- Achacado, doentio, pálido, anémico.
Empanturrado- Muito cheio, enfartado, empazinado.
Emparelhar- Pôr, colocar em parelha. Jungir, unir juntar.
Empata- Pessoa que empata, que estorva, que não deixa resolver nada.. Empecilho, desmancha-prazeres.
Empenho- Aproveitamento da influência de alguém para se conseguir algum fim Pessoa que serve empenho. Cunha.
Empinar ou Impinar- Pôr a pino, erguer verticalmente, levantar ao alto, a direito. Decorar: empinar a lição.
Empôla- Bolha aquosa que se forma na pele, designadamente nas mãos ou nos pés, provenientes de certos trabalhos, de queimaduras ou de grandes caminhadas.
Empolar- Fazer criar empolas, inchar.
Empranhar- Tornar prenhe, engravidar. Emprenhar.
Encanamento- Acção ou efeito de encanar, de colocar cano ou canos. Conjunto de canos. Canalização.
Encaraçar- Com caraça, que traz caraça*. Mascarado.
Encardido- Mal lavado, sujo, enxovalhado.
Encarrapitar- Empoleirar, trepar, pôr- se sítio alto.
Encascalhar- Pôr cascalho em, cobrir, encher com cascalho.
Encavar- Meter na cava, escavar. Encabar, pôr cabo.
Encertado- Corruptela de encetado. Tirado parte, começar a gastar, estrear.
Enchedeira- Utensílio em forma de cone terminado em tubo, funil pequeno, que serve para encher as tripas de carne de porco. Enchideira.
Enchedoiro- Parte da moeira formada por peças de couro, na parte superior do pírtigo.
Enchido-
Enchido- Aquilo que se encheu, que serve para encher. Carne de porco metida em tripa: morcelas, chouriços, mouras, farinheiras e paios.
Enchido- Aquilo que se encheu, que serve para encher. Carne de porco metida em tripa: morcelas, chouriços, mouras, farinheiras e paios.
Enchó- Instrumento de carpinteiro para desbastar madeira. Inchó.
Encilhar- Pôr cilha a. Arrear.
Encosto- Rolo almofadado, chamado suadouro*, que se colocava no pescoço dos animais antes do burnil* para proteger o animal.
Encouchado- Que encouchou, curvou, encolheu.
Encouchar- Curvar, encolher.
Encrenca- Situação complicada ou difícil. Dificuldade, embaraço.
Encrer- Enquerir*.
Enfadado- Cansado, desgostoso, aborrecido.
Enfardar- Juntar em fardo, empacotar.
Enfarpelar- Vestir ou vestir-se com fato novo, com traje domingueiro.
Enfarrapar- Vestir de farrapos.
Enfeirar- Fazer compras na feira.
Enfeite- Adereço, atavio, adorno, ornato, ornamento.
Enfeixar- Juntar, atar em feixes ou molhos.
Enfolar- Empolar*. Fazer fole.
Enfornar- Meter no forno.
Enfrascado- Bêbado, embriagado, emborrachado.
Engaço- Alfaia agrícola composta por duas peças fundamentais: o pente de ferro ou de madeira e o cabo em madeira que entra no encabadoiro com olho. Com três ou mais dentes de ferro serve para descarregar o estrume das terras, para cavar terras e enterrar sementes que não gostem de ficar muito fundas. Ancinho. O pecíolo dos cachos das uvas:- O que fica do cacho depois de tirados os bagos ou bagulhos
Engadanhado- Que tem as mão hirtas de frio. Estar encolhido.
Engadanhar- Enregelar, tolhido, inteiriçado de frio.
Enganar- Usar de artifício para induzir em erro. Iludir. Enganar o estômago ou a fome: locução popular bem demonstrativa a alimentação insuficiente, na qualidade e quantidade, que comia o povo português.
Enganchar- Prender, sujeitar com ganchos. Suspender, prender, espetar com gancho.
Engarnais Cimeiros- Lugar habitado da freguesia de Mouriscas. Em PEREIRA, Esteves e RODRIGUES, Guilherme, PORTUGAL- Diccionário Histórico, Chorográphico, Bibliográphico, Heráidico, Numismátco e Artístico, 1904, Vol. III 1909, p.145, aparece escrito Engarnaes Cimeiras, uma povoação da freguesia de Mouriscas.
Engarnais Fundeiros- Lugar habitado da freguesia de Mouriscas. Em PEREIRA, Esteves e RODRIGUES, Guilherme, PORTUGAL- Diccionário Histórico, Chorográphico, Bibliográphico, Heráidico, Numismátco e Artístico, 1904, Vol. III 1909, p.145, aparece escrito Engarnaes Fundeiras, uma povoação da freguesia de Mouriscas.
Engarrafar- Guardar em garrafa ou garrafas.
Engasgar-se- Obstruir a garganta com um objecto que impede a fala ou a falta da respiração. Perder o fio ao discurso.
Engatar- Ligar, prender, juntar sujeitar, fechar por gato ou engate. Prender as cavalgaduras ao carro por meio do engate. Ter relação ou conexão, enlaçar. Seduzir, consquistar alguém.
Engate- Acto de engatar. Sedução. Conquista.
Engelhado(a)- Produzir pregas ou dobras em. Murchar, avelar, enroscar.
Engelhar- Enrugar, produzir pregas. Murchar.
Engenho- Faculdade de conceber e executar com arte, habilidade e talento. Astúcia, ardil, estratagema. Aparelho para tirar água dos poços, rios ou ribeiras. Engenhos de tirar água: a picota* e a nora*. Máquina, maquinismo.
Engonhar- Trabalhar com engonha. Entreter, fingir que se trabalha. Preguiça para trabalhar, mandrião.
Engrolada(o)- Que se engrolou, quase cru, mal assado: castanhas engroladas. Engorolado.
Enguia- Peixe de água doce, em forma de cobra que servem para confeccionar óptimos preparados culinários. Eiró.
Enguiçar-. Fazer bruxedo, dar quebranto, mau olhado a.
(Continua)
publicado por casaspretas às 16:36
link do post | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. Linguagem e Cultura nos m...

. Linguagem e Cultura nos m...

. Linguagem e Cultura nos m...

. Linguagem e Cultura nos m...

. Lingua e Cultura nos mead...

. Lingua e Cultura nos mead...

. Lingua e Cultura nos mead...

. Língua e Cultura nos mead...

. Língua e Cultura nos mead...

. Lingua e Cultura nos mead...

.arquivos

. Março 2008

. Novembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Outubro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Abril 2006

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds