Quarta-feira, 2 de Maio de 2007

Linguagem e Cultura nos meados do dec. XX(9)

(Continuação)

 

Cerâmica- Arte de oleiro. Fabricação da louça de barro e de outros objectos baseando-se na propriedade que os barros têm de formar com a água uma pasta ligada, plástica, , que depois de cozida se torna resistente e inalterável. A sua cozedura tem lugar em fornos apropriados à produção e utilização do calor. Olaria.
Cerca- O espaço vedado onde se cria o porco. Pocilga*. Vedação de determinado espaço.
Cerda- Pêlo de javali, porco e outros animais geralmente dura e áspera. É usada pelos sapateiros na ponta dos fios quando cose o calçado à mão.
Cereal- Relativo a pão, próprio para pão. Designação aplicada a qualquer semente ou fruto capaz de ser reduzida a farinha rica em amido e susceptível de ser empregada na alimentação do homem e às plantas que a produzem. Os principais cereais, que pertencem quase exclusivamente à família das gramíneas, são: o trigo, cevada, centeio, aveia, arroz, os vários milhos e o sorgo. A sementeira de cereais(trigo, centeio, cevada e aveia) fazia-se do seguinte modo: Atava-se a ponta de uma corda ou cordel a uma parte de um saco e a outra ponta ao fundo do mesmo saco, do mesmo lado, pondo-se o saco à tiracolo, sobre a anca esquerda, com a boca para a frente. O agricultor vai andando, com passo certo e com a mão direita, vai buscar à boca do saco punhados de grão que, com arte, espalha por igual sobre todo o terreno.
Cereja- Fruto da cerejeira*.
Cerejeira- Árvore de fruto que produz a cereja. Conhecida por Prunus avium Lin, da família das rosáceas. Madeira dessa árvore. Cerdeira. Os frutos, suco e pedúnculos dos frutos possuem propriedades medicinais, sendo utilizados no combate à artrite, indigestão, gota, obesidade e obstipação.
Ceroilas- do ár. sarawil=que cobre as pernas, Peça de vestuário que os homens usam por debaixo das calças. Ceroulas.
Cessão=Cesão, Frescura, humidade na terra.
Cesta- Utensílio geralmente de verga, ou outros vegetais entretecidos, com asa, destinado para guardar ou transportar frutas, roupas, mercadorias, ... . Cesto.
Cestada- Um cesto ou cesta cheia de algo.
Cesteiro- Fabricante ou vendedor de cestos*.
Cesto- Cesta pequena sem asa.: cabaz fundo. Cesta.
Céu- Espaço ilimitado em que se movem os astros. O espaço visível que fica por cima de nós. A morada de Deus e Santos.
Cevada- (Hordeum vulgare, L), Gramínea cerealífera, o seu grão, cujo o emprego comum são: alimentação de animais domésticos, na culinária e no fabrico de cerveja.
Cevar- Dar ceva a. Nutrir, fazer engordar, fartar.
Chá- Infusão feita com folhas de várias plantas aromáticas ou medicinais. Fig. Censura, admoestação, repreensão.
Chafarica- Pop.Baiúca, botequim, taberna.
Chafurda- Lama que o porco fossa e revolve. Imundície, casa suja, pocilga*. Cerca*.Chiqueiro.
Chaga- Ferida aberta, a escorrer sangue, a supurar. Aquilo que causa prejuízo a algo ou alguém.
Chalado- Gir.Amalucado, pírulas*.
Chale- Peça quadrangular de pano, que dobrada em diagonal, se usa aos ombros para agasalho especialmente pelas mulheres. Chaile.
Chaleira- Vaso em que primitivamente se aquecia a água para chá e que, hoje, se emprega para fazer ferver a água para qualquer fim.
Chama- Gás ou vapor levado à incandescência. Labareda, flama. Fig. Paixão, entusiasmo, ardor, vontade.
Chambaril- Pau curvo, com cerca de 50 cm e encaixes nas extremidades, nos quais se enfiam os tendões nas patas traseiras do porco(jarretes) para pendurá-lo e abri-lo, depois de morto e preparado.
Chamiça- Corda de esparto que liga os alcatruzes da nora.
Chamiço- Acendalhas de lenha miúda, de ramos delgados para acender o lume. Chamiça*. Sobrenome de pessoa.
Chaminé- Lugar de uma casa onde se acende o lume para prepara a comida ou para aquecer o ambiente e que comunica com o exterior por meio de um tubo, uma abertura, que tem o mesmo nome. Construção de alvenaria, tijolo, cimento armado ou folha de ferro que se eleva acima do telhado e serve para dispersar na atmosfera o fumo de uma fogueira. Lareira. Tubo de vidro dos candeeiros de petróleo, de gás, ... . Qualquer tubo ou cano destinado à saída de fumo.
Chamuscar- Queimar de leve, crestar. Chamuscavam-se as aves e o porco depois de morto.
Chamusco- Acção ou efeito de chamuscar. Chamusca, chamuscada.
Chanca- Calçado de sola de pau, espécie de tamanco ou soco. Calçado grande e grosseiro. Pop. Pé grande.
Chancas- Socos de cabedal.
Chanfalho- Qualquer utensílio deteriorado e velho. Chanfalho.
Chanfana- Espécie de guisado, sarrabulho, sarapatel. Especialmente guisado de bofe que esteve em voga no séc. XVIII.
Chapa- Peça estirada, delgada e plana de qualquer matéria. Distintivo com numeração e mais elementos de identificação de carros, bicicletas, cães, … . Bater de chapa: de frente, em cheio. O sol a bater de chapa na cara. Pop. Pedaços de pano que utilizavam para remendar a roupa rota que se cosia sobrepostos ao tecido original.
Chapada- Gir. Bofetada, pancada com a mão na cabeça ou na cara. Roupa chapada: roupa remendada em que colocam pedaços de tecido sobrepostos ao tecido roto.
Chapar- Pôr chapa em, cobrir com chapas. Chapear*.
Chaparral- Mata de chaparros*.
Chaparro- Sobreiro* ainda novo.
Chapear- Forrar, cobrir com chapas ou chapas.
Chapéu- Qualquer cobertura, com abas e copa, para resguardar a cabeça. Cobertura que encime qualquer objecto e que se assemelhe a chapéu. Chapéu de sol, chapéu de chuva: armação coberta de pano para resguardar do sol ou da chuva. Sombrinha. Tirar o chapéu: cumprimentar, cortejar alguém.
Chapim- Pássaroconirrostro.Mengengra*.
Chapinhar- Bater na água com as mãos, pés ou outro objecto.
Charco- Lugar onde há água estagnada, lamacenta. Poça, lodaçal, atoleiro.
Charoeiros- Lugar habitado da freguesia de Mouriscas.
Charrua- Alfaia agrícola para lavrar a terra. Espécie de arado* de rodas e aiveca de ferro.
Charrueco- Charrua pequena. Charrua ordinária. Carro sem qualidade.
Chasco- pássaro dentirrosto, chamado cartaxo
Chata- Gir. Mulher aborrecida, importuna, causticante.
Chatear- Gir.Importunar, maçar, aborrecer.
Chatice- Gir. Coisa aborrecida, macante, que importuna.
Chato- Que é plano, raso, sem elevação. Gir. Diz-do indivíduo maçador, importuno, causticante. Pop. Piolho* do corpo.
Chavascal- Lugar imundo, baiúca, chiqueiro, pocilga*, cerca*.
Chave- Instrumento com que se faz funcionar uma fechadura*. Peça de metal empregada para manobrar as fechaduras das portas, gavetas, palheiros, … . è geralmente formada por uma haste cilíndrica, terminada de um lado em argola ou pega, tendo do outro uma aba lateral ou palhetão, plana ou curva, recortada de variadíssimas formas, dependendo do género de fechadura a que se aplica. Pode ser macha ou fêmea: a primeira é de haste maciça, que se introduz no buraco da fechadura; a segunda tem a haste oca correspondendo à broca daquela.
Chavelha- O pau ou ferro que segura o cabeçalho do carro e a canga ao tamoeiro. Peça da moeira ou mangual, também chamada cunha, que serve para apertar firme os brochos*, fixando melhor o pau ou pirto ao sedouro. Chavelhão
Chavelho- Pop. Ponta de corno*. Chifre*. Chavelhudo, cornudo*.
Chavelhudo- Que tem chavelhos. Fig. Diz-se daquele que a mulher desleal, infiel. Corno.
Chávena- Pequeno vaso com uma asa para tomar líquidos.
Chavo- Moeda de valor íntimo. Quantia insignificante. Não ter um chavo: não ter dinheiro.
Chazada- Porção de chá. Fam. Chávena de chá.
Chedeiro- Tabuleiro do carro de bois.
Chegadela- Fam. Repreensão, descompostura, reprimenda, censura. Chegada.
Chegadiço- Que se chega, metediço.
Cheia- Aumento do caudal de um rio, especialmente, em consequência das chuvas. No passado as cheias eram normais no rio Tejo. Pop. Diz-se da mulher grávida.
Cheio- Que encerra o máximo que pode conter. Muito cheio= chinho.
Cheiro- Aroma, perfume. O cheiro do alecrim, colhido no dia de S.João queimado livra as casas dos raios. Pop. Anecril.
Chiada- Quantidade de chios. Barulho de vozes agudas que ralham, troçam ou riem.
Chiadeira- Grande e prolongada chiada*.
Chiba- Cabra pequena antes de criar. Chibita. Cabrita.
Chibarro- Bode pequeno castrado.
Chibata- Varinha delgada e flexível com se fustiga a calvagadura, se castigam os animais ou pessoas.
Chibatar- Bater com a chibata.
Chibato- Cabrito, chibo*.
Chibo- Macho da cabra quando pequeno. Chibito. Cabrito.
Chica- Dem. muito frequente de Francisca.
Chiça- Exclamação de surpresa, protesto, desprezo: chiça que é de mais
Chícara- Espécie de tigela com asa para beber líquidos
Chícharo- Planta leguminosa de grão comestível.
Chichi- Inf. Urina. Fazer chichi: acção de urinar.
Chicote- Corda trançada de fibra ou de couro, geralmente, lida a uma cabo e que serve para fustigar e castigar os animais.
Chifrada- Pancada com chifre. Marrada*.
Chifre- Cada uma das pontas da cabeça de certos animais. Corno, chavelho.
Chilique- Fam. Acidente nervoso ou histérico. Fanico*, desmaio*.Perda de sentidos.
Chimbalau- Pop. Grande prejuízo, sério contratempo.
Chincho- Molde de vime, tabuínhas, metal ou plástico, com orifícios ou não, em que se aperta o queijo sobre a francela* para lhe espremer o almece*. Achincho.
Chinela- Calçado de mulher que deixa o peito do pé descoberto, que não tem contraforte e geralmente com salto.
Chinelo- Sapato* de trazer por casa, raso ou com salto muito baixo.
Chinfrineira- Barulheira, algazarra.
Chinguito- Pequena porção de líquido. Chingo.
Chinha- Pop.Que está cheia, repleta.
Chinho- Pop .Que está cheio, repleto.
Chinquilho- Jogo praticado por rapazes e homens, que consiste em deitar um paulito abaixo com uma malha de ferro, que pode ter um orifício ao centro. Malha*.
Chio- Acção de chiar. Voz aguda de vários animais, como o pardal e o rato. Som agudo produzido pelo atrito de duas os mais peças.: O chio do carro de bois.
Chiqueiro- Curral onde se criam porcos. Pocilga Cerca. Sítio imundo sem limpeza e arrumação.
Chispe- Pé de porco.
Choça- Cabana rústica coberta de colmo,.
Chocalho- Espécie de instrumento metálico, cilíndrico ou cónico, a modo de campaínha. Tem badalo de pau, com pé e argola presa à meã e esta ao céu. Usa-se especialmente para atar ao pescoço do gado para se conhecer onde se encontram. Escalho.
Chocar-Cobrir os ovos com a agalinha para que, com o calor, se desenvolvam os germes e nasçam os filhos. O ovo apodrece durante a incubação é um ovo gorado. Por ext. Trazer em si o germe de uma doença: ele há muito que anda a chocar uma doença.
Choco- Diz- se da ave que está a chocar e do ovo no período de incumbação. Diz-se do ovo que apodreceu.
Chocolateira- Cafeteira, vasilha de folha para ferver a água.
Choramingas- Pessoa que choraminga, que chora a miúdo, sem motivos bastantes.
Chorão- O que chora muito. Choramingão, lamechas.
Choro- Acção de chorar, pranto, derramamento de lágrimas. Derramamento de seiva nas plantas.
Chorume- Banha, matéria gorda de um animal. Líquido concentrado que es corre do estrume e usa recolher-se nas nitreiras ou outros locais próprios.
Choupo-( Populus, L), Árvore de grande porte, da família das salicáceas, que produz madeira leve, muito porosa, com largas aplicações. Entre as propriedades medicinais de realçar: antiséptico, digestivo, diurético, expectorante, sudorífero, tónico.
Chouriço- Pedaço de tripa cheio de bocados de carne e gordura com temperos* e depois defumado. Saco cilíndrico e comprido cheio de serradura* ou areia que se coloca na parte inferior das portas ou janelas para impedir para impedir a passagem do vento.
Chucha- Objecto de borracha, boneca de açúcar ou outra coisa doce que se põe na boca das crianças para ficarem caladas. Chupeta.
Chuchar- Chupar, mamar.
Chulo- Reles, ordinário, grosseiro, baixo. Rufião* que vive à custa de mulheres.
Chumaceira- Peça metálica destinada ao apoio dos extremos dos veios dos motores e de transmissão de movimentos e que serve para evitar ou atenuar o atrito de outras.
Chumaço- Espécie de almofada ou travesseiro que serve para encher com material macio, como algodão, lã, estopa, sumauma.
Chumbado- Que tem chumbo. Diz-se do dente cujo o furo foi obturado ou se encheu com chumbo ou outra substância. Reprovado num exame ou concurso.
Chumbo- Metal gris azulado, muito maleável, dúctil e pesado e que tem muitas aplicações. Projéctil que expelem as armas de fogo, especialmente os grãos deste metal para caça miúda. Fam. Reprovação em exame, raposa.
Chupeta- Objecto em borracha, em feitio de bico de mamadeira, que se dá às criancinhas para chuparem de modo a entretê-las e ficarem caladas. Chucha.
Chusma- Grande quantidade, multidão.
Chuva- Precipitação de gotas de água devido à condensação do vapor de água existente na atmosfera.
Chuvada- Chuva passageira mas intensa.
Chuviscar- Queda de chuvisvos*.
Chuvisco- Chuva miudinha e passageira.
Cicatriz- Sinal de ferida ou chaga depois de sarada.
Cieiro- Asperezas, gretas ou pequenas feridas na pele produzidos pelo frio que aparecem nos lábios e sob as narinas e nas mãos.
Cigarro- Porção de tabaco enrolada num pequeno rectângulo de papel muito fino chamado mortalha*. Marcas de cigarro existentes nos meados do seo. XX : Mata Ratos, Provisórios, Definitivos, Três Vintes, ... .
Cilha- Faixa de tecido ou larga tira de couro que, passando por debaixo da barriga da cavalgadura, serve para segurar a sela ou albarda, não permitindo que ela oscile.
Cimalha- Saliência no topo da parede em que fixam os beirais.
Cimento- Espécie de argamassa feita com um pó de composição especial que serve para ligar e segurar fortemente pedras, tijolos, blocos, ... .
Cimo- Alto, cume. Pardacima: a subir algo.
Cinto- Faixa estreita com que se cinge a cintura e que se aperta com fivela*ou outro género de fecho.
Cinza- Resíduo ou pó que resulta da combustão* de certas matérias. Tirava-se todos os dias da lareira e do forno sempre que se cozia o pão. Eram aproveitadas como adubo e nas barrelas*.
Cinzento- Cor de cinza, gris, pardo.
Cipreste- Tal como o cedro, simboliza a imortalidade.
Cisma- Mania, birra, presunção.
Cismado- Relativo a cisma, que medita. Cismático.
Ciumento- Que revela ciúme, invejoso.
Coada- Aquilo que se coou, peneirou, filtrou.
Coado- Passado pelo filtro, purificado. Diz-se do pão de farinhas muito peneiradas de trigo, milho, centeio ou cevada.
Coador- Cesto, vaso, ralo, peneira, pano, ... com que se coa.
Coagulação- Passagem de um líquido ou substância dissolvida ao estado sólido*.
Coalhada- Leite coalhado, com que se faz o queijo. Importante alimento dietético muito apreciado pelos naturalistas.
Coalhar- Fazer perder o líquido a um corpo, transformando-o em pasta, massa. Pop. Colhar.
Coalheira- Produto próprio para provocar a coagulação ou coalho de certos líquidos. Quarta cavidade do estômago dos ruminantes. Espécie de almofada de palha ou de pano que se coloca em volta do pescoço das bestas de tiro, de modo a protegê-las., sobre a qual assenta o bornil.
Coalho- Substância de origem animal ou vegetal que tem a propriedade de coagular ou coalhar a caseína do leite. Há coalhos animais e vegetais. O coalho animal é segregado pelas glândulas gástricas dos mamíferos ainda não desmamados e retira-se do quarto estômago. Era normal as pessoas prepararem o coalho em casa. Muitos vegetais contem um suco coagulante, sobretudo nos órgãos verdes( hastes novas, rebentos, folhas) e flores. São particularmente ricos em coalho, o cardo e a sua alcaçofra. Os troncos novos de figueira também possuem a mesma propriedade. Estas plantas agem a temperaturas altas(60 a 90º e algumas coagulam mais facilmente o leite fervido do que o leite cru.
Coanha- Palhiço. Vassoura feita de giesta verde com que na eira se separam do grão os detritos da palha, que na limpa, atirando com pás de madeira o cereal contra o vento, sempre ficam mais ou menos no monte de trigo ou centeio já limpo. Coanho. Conho.
Coanheira- Espécie de vassoura feita com ramos de giesta ou de outra planta. Coanhadeira, coanha. Conheira.
Coar- Fazer passar por um filtro, depurar, filtrar.
Coaxo- Voz da rã e de certos batráquios..
Coberta- Cobertor de cama, colcha. Teto telhado. Cabra, ovelha, ..., cobertas: que foi ao bode e ficou prenhe ou pranha.
Coberto- Que tem alguma coisa por cima para proteger. Anexo para protecção do carro de bois, aprestos agrícolas, mato, lenha, ... .Alpendre, telheiro. Com o chapéu na cabeça. Cheio, carregado, repleto. Diz-se das iguarias ou furtas que têm camada de alcorce, de pó ou calda de açúcar.
Cobertor- Peça rectangular, geralmente, de lã ou algodão, que serve de agasalho e se coloca na cama por cima dos lençóis. Cobertor de selim: O que se usa, na cavalgadura, por debaixo do selim ou albarda, para que o animal não se magoe.
Cobra- Réptil de longo corpo cilíndrico e sem pés. Bicha. Pessoa de má índole, de maus fígados.
Cobranto- Quebranto*.
Cobrão- Erupção da pele. Cobrelo ou zona.
Cobre- Metal simples, de cor avermelhada, com muitas aplicações. Tachos de cobre: utilizados na cozedura das morcelas feitas no dia da matança do porco.
Cobrição: Acção ou efeito de cobrir. Especialmente a acção de cobrir o macho a fêmea. Levar a cabra à cobrição
Cobrir- Pôr alguma coisa sobre outra para tapar, proteger, ornar, ... . Atabafar, agasalhar, resguardar. Ter cópula, fecundar, falando-se de animais.
Coca- Acção de cocar. Estar à coca: espreitar. Objecto com que mete medo às crianças, papão.
Coça- Tareia, sova, tosa, surra, pancada. Coçadura.
Coçar- Esfregar com as mãos ou outro objecto alguma parte do corpo, especialmente, quando nela se sentem comichões. Bater, sovar, tosar, ... .
Cocar- Fam. Espreitar, observar, espionar.
Cocção- Operação que consiste em submeter os alimentos à acção do calor. Acção de cozer, cozimento.
Cócegas- Sensação especial, espécie de tremor espasmódico, produzida por leve roçar em certas partes do corpo ou em certas mucosas, e que provoca por vezes riso.
Coceira- Comichão, prurido. Doença de pele que faz coçar. Sarna*.
Cocharra- Colher.
Coche- Carruagem antiga e rica. Sege. Cocho*.
Cochichar- Falar em voz baixa, murmurar, segredar.
Cochicho- Acção de cochichar. Aposento muito pequeno, cubículo.
Cocho ou coucho- Gamela que serve para transportar a serventia para os pedreiros. Coche.
Cocó- Inf.O mesmo que caca. Fazer cocó: Defectar, evacuar.
Cócoras- Agachado ou quase sentado sobre os calcanhares. De cócoras: Agachado, sentado ou quase sentado sobre os calcanhares. Cócaras.
Cocoruto- A parte mais alta de alguma coisa, o cimo.
Códea- Parte exterior dura, crosta, casca. Particularmente a parte externa do pão, bolo, ..., endurecida pela cozedura. Pedaço de pão duro.
Codes- do latim cos-colis Pedra de afiar ou seixo rolado que também se aproveita para o mesmo fim.
Codorniz- Género de ave, menor do que a perdiz, do género Coturnix Moehring, sendo uma caça muito apreciada.
Coelha- A fêmea do coelho*.
Coelheira- Local fechado, onde se criam ou conservam os coelhos domésticos. Parte dos arreios que cinge o pescoço dos animais de tiro.
Coelho- Mamífero roedor de grandes orelhas, muito apreciado pela carne e pela pele desde há muito tempo, sendo de grande apreço na Idade Média. A cama que faz no mato, debaixo das ervas, para dormir, chama-se covil e o local onde fazem as suas necessidades touril*.
Coentrada- Molho adubado com coentros.
Coentro- Planta hortense, aromática, utilizada da alimentação humana como condimento ou tempero.
Cogulado- Que tem cogulo*, muito cheio.
Cogumelo- Nome dado a vários vegetais criptogâmicos, alguns comestíveis. Tortulho, míscaro, fungo.
Coice- Pancada que dão os animais, especialmente, as bestas, com as patas traseiras. Parte inferior de alguma coisa. Couce.
Coino- Alent. Vassouro de hastes empregada nas eiras. O mesmo que coanho* Conho.
Cóio- Abrigo de malfeitores.
Coirão- Alguém de má fama.
Colarinho- Gola que cinge o pescoço. Parte superior da camisa que se ajusta ao pescoço, feita com tecido leve.
Colcha- Pano lavrado com que se cobre a cama, por cima do cobertor. Coberta de cama.
Colchão- Espécie de grande almofada que cobre toda a extensão da cama e que se enche com matéria mais ou menos fofa, como lã, palha, camisas de milho, ... , que se coloca, geralmente em cima do enxergão*.
Colchete- Pequeno gancho de metal que prende na colcheta.
Coleira- Colar de couro, metal ou outra substância com que se cinge o pescoço dos animais, especialmente, dos cães. Rolo de palha coberto de palha que faz parte dos arreios do gado de tracção de carros.
Colete- Veste curta, sem mangas e geralmente sem abas, que se ajusta ao peito e à cinta e que usa por debaixo do casaco.
Colhar- O mesmo que coalhar.
Colheira- Espécie de almofada de palha que se coloca em volta do pescoço dos animais de tiro. Coalheira ou coelheira.
Colheita- Acção de colher produtos da terra. Produção agrícola de uma ano de determinado produto. Safra.
Colher- Utensílio de mesa composto duma parte côncova arredondada e de um cabo, que serve para levar alimentos à boca, especialmente, líquidos. Porção de le líquido que uma colher pode conter. Tirar ou apanhar frutos das árvores ou cortar flores.
Colherada- Conteúdo de uma colher cheia. Fam. Meter a sua colherada: intrometer-se, meter o bedelho.
Cólica- Qualquer dor mais ou menos violenta, que, por acessos, se manifesta na região abdominal.
Colmeia- Cortiço de abelhas onde vive o enxame.
Colmo- Haste herbácea oca, provida de nós, das gramíneas, como o trigo, a aveia, a cevada, o centeio. Refere-se em especial à palha com que cobrem cabanas e casas pequenas. O colmo de centeio utilizava-se nos enxergões e no fabrico de albardas e bornis.
Colo- A parte superior do peito, entre os seios e o pescoço. Regaço.
Comadre- Madrinha de uma criança com relação ao padrinho ou aos pais desta. Também se chamava comadre à parteira dos filhos. O dia das comadres ou quinta-feira das comadres: É a quinta-feira imediatamente anterior à terça-feira de Carnaval.
Combanido- Débil, fraco, enfraquecido, abalado, deteriorado, com faltas de forças físicas ou morais. Combalido.
Combareiro- Parede a amparar terras de cultivo
Cômboro ou cômbaro- Socalco. Combro. Cômoro*.
Combustão- Acto de queimar. Combinação de um corpo com o oxigénio acompanhada de luz e calor.
Combustível- Que tem a propriedade de arder, que se pode consumir pelo fogo. Qualquer matéria com que se pode fazer lume.
Comedia- Quantia que antigamente se dava para sustento. Pensão de alimentos. Comedoria.
Comedouro- Recipiente de pedra, madeira, barro ou outra substância, facilmente, lavável, em que comem animais. Manjedoura.
Comenda- Trata-se de um benefício ou rendimento que se concedia a eclesiásticos e a cavaleiros de ordens religiosas e militares como recompensa da prestação de serviços. Eram formadas e constituídas por esmolas e patrimónios dados à ordem religiosa pelos reis e pelos senhores cristãos. As primeiras chamavam-se balios ou bailios. Os tombos das Comendas eram inventários de terrenos demarcados e de declaração de direitos dos respectivos comendadores, portanto, direitos de posse.
Comensal- Cada um dos que comem juntos. Conviva.
Comezaina- Lauta refeição, abundância de comida. Patuscada.
Comichão- Sensação de picadas na pele. Prurido, coceira.
Comida- Aquilo que se come.Comida cozinhada: a alimentação que se come quente, geralmente em pratos: Feijões com couves, peixe, carne, arroz, batatas. Para as mondadeiras era o pão de centeio ou de milho que durava duas semanas. Alimento. Refeição.
Cominho- Planta umbelífera, cujos os grãos, os cominhos, fazem parte de várias especiarias.
Cómoda- Móvel geralmente rectangular, mais baixo que uma pessoa, cuja face superior forma mesa e provido de alto a baixo de gavetas e gavetões, em que guardam roupas domésticas e outros objectos.
Cômoro- Elevação de terreno, depois de lavrado e antes de gradado. Combro. Pop.: Cômaro ou cômbaro.
Compadre- Padrinho de uma criança, com relação aos pais desta ou à madrinha.
Companha- Grupo de pessoas que vão juntas para desempenhar alguma tarefa. O caso das companhas de ceifeiros mourisquenses que, até, 1958, iam para as ceifas do Alentejo, dirigidos por um manageiro.
Conchego- Amparo, agasalho. Aconchego. Pessoa que protege.
Conchelo- Planta crassulácea que cresce nas paredes e escarpas siliciosas e ensolaradas. Serve para curar feridas, calosidades e úlceras cutâneas.
Concherlas- Bivalves.
Condimento- O mesmo que tempero. Substância que dá gosto aos alimentos. Adubo.
Condimento- Produto aromático que tem a finalidade de fazer sobressair o sabor de um alimento.
Condutar- Comer o conduto. Gastar aos poucos, poupar.
Conduto- Alimentação que se come juntamente com o pão, com acompanhamento: chouriço, morcela, uma lasca de bacalhau, cebola crua, azeitonas, sardinha, queijo.
Confeito- Amêndoa coberta de açúcar e seco ao fogo. As madrinhas deitavam confeitos, no dia do casamento dos seus afilhados, que a moçarada apanhava do chão, avidamente.
Côngrua- A porção de renda ou frutos, dada pelos fiéis, que se considera necessário para o decoroso sustento do pároco da freguesia.
Conhar- Coanhar. Varrer com vassoura de giesta para separar o palhiço dos grãos, nas eiras. Coinhar.
Conhar- Varrer com a vassoura de giestas para separar a palha dos grãos.
Conheiras- Amontoado de calhaus rolados, possivelmente, provenientes da extracção de ouro, da época romana ou medieval. Montões de conhos* que foram retirados da terra arável. Existiam muitas na Cova do Madeiro, Mouriscas, talvez provindas da exploração aurífera havi há muitos séculos.
Conho- do lat. cuneus, Penedo isolado e redondo no meio do rio. Vassoura espalmada com que nas eiras, ao padejar o grão, se vão retirando alguns fragmentos de palha ou de carolo( acto de conhar).
Conirrostro- Aves que têm o bico curto e cónico.
Consoada- lat. Cum+sub+unare =reunir. Ceia da noite de Natal em que é servida a bacalhoada: bacalhau demolhado, batatas, ovos, cebolas, cenouras e couves portuguesas.
Contribuição braçal- Trabalho que nos meios rurais os homens prestavam no arranjo dos caminhos públicos ou em obras colectivas. Em vez de dinheiro o Estado cobrava a contribuição em trabalho manual.
Convite- Oferta, presente, que se dá alguém como agradecimento de um favor que se recebeu. Então não convidaste o fulano de tal?
Copa- Compartimento da casa onde se guardam os mantimentos e objectos do serviço de mesa. A parte superior das árvores. Conjunto de peças de roupa.
Copázio- O conteúdo de um copo grande.
Copo- Vaso mais ou menos cilíndrico ou conoidal, por onde se bebe.
Cora- Acção de branquear a roupa*.
Corar- Dar cor a. Branquear panos. Tomar cor: A carne já está corada. Enrubescer, avermelhar-se, ruborizar-se.
Corar- Tornar um alimento louro, cozendo-o, com gordura, numa frigideira ou no forno.
Corda- Peça de fios unidos e torcidos, uns com os outros, e que serve para atar, ligar objectos entre si. São fabricadas de esparto, cânhamo, sisal, etc.. Corda de enquerir: corda com que se dispõe, em cima da albarda, a carga de cada lado do dorso dos animais de modo a equilibrar-se.
Cordão- Corrente de ouro usada como jóia no peito e no pescoço.
Cordeiro- Cria da ovelha cuja idade não excede um ano. Borrego.
Cordeiro- Cria da ovelha cuja idade não excede um ano. Borrego.
Cordel- Corda fina; guita, baraço, fio.
Cordovil- Variedade de azeitona, que depois de adoçada, é utilizada para a alimentação por ser mais grada do que a galega.
Coreto- Espécie de palanque ou coro, construído ao ar livre, para concertos musicais.
Corga- Sulco profundo entre dois montes. Córrega.
Corja- Quantidade de gente baixa e grosseira. Malta, gentalha, canalha.
Cornacha- Espécie de penacho com fitas de várias cores que ornamente a testeira das bestas.
Cornada- Pancada com os cornos, marrada.
Cornal- Corneira*.
Cornear- Pôr cornos a. Atraiçoar um esposo ao outro.
Corneira- A correia que prende os bois, pelos chifres ou cornos, à canga ou jugo. Para cada canzil uma corneira. Soga.
Corno- Apêndice que certos animais têm na cabeça e lhes servem, ordinariamente, de arma defensiva ou ofensiva. Pode ser usado na vida diária, como vaso de beber, recipiente de líquidos, designadamente, vinho, azeite, para guardar sementes raras, para chamamento, mas a sua maior importância está relacionada com o mundo das crendices e superstições. Serve de amuleto contra os maus olhados- coloca-se nos currais, nas casas particulares e de negócios- e como enfeite, pendurado nos fios e pulseiras das crianças. Também as cavalgaduras podem usar estes mesmos amuletos: gado muar e asinino. Chavelho, cifre. Marido a quem a mulher atraiçoa ou atraiçoou. Corna.
Cornudo- Que tem cornos. Marido a quem a mulher atraiçoa ou atraiçoou.
Coronha- Parte em madeira das armas de fogo portáteis em que se encaixa o cano.
Coronho- Feixe ou carga que se transporta às costas ou à cabeça.
Corpanzil- Corpo avantajado. Pessoa corpulenta.
Corpete- Peça de vestuário feminina que cobre o busto. Colete de mulher.
Corpo- A parte material de um ser vivo. Cadáver humano: velar o corpo do defunto; missa de corpo presente. De corpo bem feito: Com pouca roupa, desagasalhado. Espessura, consistência. Ser colectivo.
Corregedor- O mesmo que Ouvidor ou Juiz de Comarca.
Correia- Tira de couro ou de pele.
Corrilhão- Cravagem do centeio, que, durante a II Grande Guerra Mundial, atingiu elevados preços.
Cortadela- Golpe, incisão. Cortadura.
Cortiça- Casca do sobreiro e de outras plantas lenhosas.
Cortiço- Caixa de cortiça, mais ou menos cilíndrica, destinada à habitação das abelhas e onde elas fabricam o mel e a cera. Casa pequena, cochicho.
Coruja- Ave de rapina nocturna. Fig. Mulher velha e feia.
Coruto- O ponto mais alto de qualquer coisa. Cocoruto, cume.
Corvo- Ave carnívora, de penas pretas, da família das corvídeas.
Cós- Tira de pano que cinge e se aplica em volta de certas peças de vestuário.
Coscorão- Tira de massa de farinha de trigo, ovos, sumo de laranja, ... , que se vai enrolando à medida que se frita no azeite. Come-se com mel ou açúcar e canela. Cosco, coscorel, filhó.
Costelas. Armadilha de madeira e rede com que se apanham alguns pássaros com agúdias*.
Costil- Armadilha para apanhar pássaros, constituída por um arco de arame, com mola aramada sobre uma tabuínha e um gancho, a que está preso o isco. Ratoeira. Costelas*.
Costumado- Usado, acostumado. O que é usual. Acostumado, avezado.
Costume- Uso habitual, prática geralmente observada. Comportamento, procedimento
Costura- Acto ou efeito de coser. Profissão ou arte de coser ou seja o dar pontos, sendo também a união de coisas cosidas a fio.
Costureira- Mulher que desempenha a arte ou tem por ofício a costura*. Para poder costurar utiliza os seguintes utensílios: a máquina de costura, a agulha, o dedal, a linha e a tesoura.
Cotão- Pêlos que largam os panos. Cisco que se junta no forro e nos bolsos dos factos, por trás dos móveis e debaixo das camas.
Cotovia- Ave granívora conirrostra. É uma pequena ave campestre, de cor parda que se alimenta se sementes e insectos, útil para a agricultura.
Couce- Parte inferior de alguma coisa. Pancada com o calcanhar. Pancada que dão os animais, especialmente, as bestas, com as patas traseiras. Couceira*. Fig. Acto de ingratidão.
Couceira- Parte inferior da porta.
Coucho/cocho/cocha/coche-Espécie de prato de cortiça. Pequeno tabuleiro para transportar argamassa, terra, pedras. Porco*. Gamela*.
Courela- Belga comprida e estreita de terreno que se pode cultivar. Coirela. Antiga medida agrária de 100 braças de comprimento, por 10 de largura. Porção de terra estreita e comprida.
Couro- Pele espessa, tratada, de certos animais com muitos usos: calçado, arreios da cavalgaduras, encadernação de livros, ... .
Coutar- Vedar, tornar uma propriedade defesa, vedada.
Couto- Terra defesa que outrora gozava de privilégios. Terreno vedado onde apenas certas pessoas podem caçar.
Couvada- Tiborna de bacalhau e couves confeccionadas e comidas nos lagares de azeite, na época em que estes funcionam.
Couval- Plantação de couves.
Couve- Género de plantas hortenses crucíferas, com numerosas variedades, formas e aplicações domésticas. A couve portuguesa, a couve tronchuda, a couve-flor, .... A Couve ratinha ou galega: de caule muito elevado, simples com folhas de ordinário reunidas em roseta dá folhas todo o ano, atingindo uma altura de um homem. Tempo couveiro: tempo próprio para plantar couves.
Cova- Abertura na terra. Sepultura. Cova de bagaço: local onde se guardava o bagaço da azeitona destinado à alimentação dos porcos.
Cova de Madeiro- Lugar habitado da freguesia de Mouriscas.
Covacho- Cova pequena onde se deita a semente de feijão, milho, couve, ... .. aberta com um sacho*.
Coval-Divisão d terreno dum cemitério, no qual se podem abrir covas ou sepulturas.
Covão- Funda depressão de terreno. Grande cova. Em Mouriscas há um local chamado Covões até há poucos anos florestado de pinheiros bravos.
Coveiro- O homem encarregado do cemitério, que abre covas.
CONTINUA
<div style="MA
publicado por casaspretas às 16:15
link do post | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. Linguagem e Cultura nos m...

. Linguagem e Cultura nos m...

. Linguagem e Cultura nos m...

. Linguagem e Cultura nos m...

. Lingua e Cultura nos mead...

. Lingua e Cultura nos mead...

. Lingua e Cultura nos mead...

. Língua e Cultura nos mead...

. Língua e Cultura nos mead...

. Lingua e Cultura nos mead...

.arquivos

. Março 2008

. Novembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Outubro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Abril 2006

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds