Domingo, 1 de Outubro de 2006

Lingua e Cultura nos meados do sec. XX(6)

(Continuação)
 
Cabaça- Espécie de abóbora em forma do algarismo, que serve para a alimentação humana. Depois de seca servia para os pastores levarem água.
Cabana- Casinhola rústica, barraca, choupana. Cabano*.
Cabanal- Apendre, coberto. Cabano.
Cabano- Boi que tem as hastes descaídas e abertas. Alpendre, coberto.
Cabaz- Pequeno cesto de vime com asa, para transporte de fruta, batatas, ... . Consoante as sua dimensões, assim as diferentes designações que assume: o mais pequeno é denominado cabaz do almoço, o maior, cabaz do jantar. Os de vime branco(descascado) são chamados cabazes brancos.
Cabazada- cabaz cheio; grande quantidade. Abada*.
Cabeçada- Pancada com a cabeça. Chapéu, boina ou boné. Parte dos arreios que cingem a cabeça das bestas. Fig Disparate, tolice.
Cabeçalha- A parte dianteira do temão do carro. A vara central. Cabeçalho*.
Cabeçalho- Temão* do carro.
Cabeção- Cabresto para domar e governar uma cavalgadura sem lhe ferir a boca.
Cabeceira- Lugar onde descansa a cabeça Parte da cama ou leito em que fica a cabeça. A que fica junto à cabeceira.Mesa ou mesinha de cabeceira: e contém geralmente um vaso de noite. Topo da propriedade rústica.
Cabecinha- Diminutivo de cabeça. Farinha que fica na peneira depois de separada a sêmea* quando se peneira o rolão*.
Cabeço- O ponto arredondado e mais alto de um monte, outeiro, cimo, cume.
Cabeçudo- Que tem a cabeça grande. Fig. Teimoso, obstinado, pertinaz. Peixe cabeçudo: Girino.
Cabedal- Coiro próprio para o fabrico do calçado.
Cabide- do ár. makbid?=cabo, punho, pega, Móvel em que pendura vestuário.
Cabouco- Tubo de grande dimensões por onde passa a água que vai para o rodízio e faz mover o moinho de água.
Cabra- Animal mamífero da ordem dos ruminantes, fêmea do bode. Fornece a carne e o leite para consumo ou fabrico de queijos e a pele para o fabrico de sacos e vasilhas para o transporte de cereais e farinha e de azeite. Paria um a dois chibos por ano e as suas crias, os chibos(as) dormem separados das mães para que estas possam ser ordenhadas à noite e de manhã. Após a ordenha deitam-lhes as crias para eles mamarem. Quando são para criar e lhes era tirada a mama, ao fim de dois ou três meses de vida, eram embarbilhados, colocando-se-lhes um barbilho de pau na boca, que lhes permite comer mas não mamar. Tem várias denominações consoante a cor dos cabelos: caldeira, pretos, com barriga e pernas amarelas, cardena, brancos s pretos, ruça, brancos e vermelhos, bragada, com pelos menos duas cores, branco e vermelho, branco e preto e branco e amarelo; consoante a forma dos chifres: machuna, cornos largos e voltados para cima(de macho), carrapita ou carrapiteira, com cornos voltados para cima, mas miúdos, gacha, cornos míudos muito curvos para trás, mocha, sem cornos; conforme as formas do amojo: talhuda, tetas largas e um pouco compridas, tarraca, tetas curtas e junto à barriga, dureira, o leite sai com bastante dificuldade, moleirinha, o leite é mungido facilmente e por, por vezes, sai naturalmente, e mão-teta, que só tem uma teta.
Cabrada- Rebanho grande de cabras.
Cabrais- Lugar habitado da freguesia de Mouriscas.
Cabrão- Bode. Marido atraiçoado pela mulher.
Cabresto- Aparelho constituído por um conjunto de correias ou cordas, colocado na cabeça, com se prendem ou conduzem as bestas e também as cabras e ovelhas que pastam presas a uma corda .
Cabrita- Cabra pequena, chibita*.
Cabrito- ling. corrente, animal quando novo. Chibito. Chibato
Caca- Excrementos do bebé, cocó. Sujeira. Animais que se caçam. Busca, procura, perseguição do inimigo.
Caçador- Aquele que caça. Apanhar ou trazer uma grade: Diz-se do caçador que volta sem caçar nada.
Caçamulo- Sabugo da maçaroca do milho.
Cação- Nome vulgar dados a vários peixes esqualos. Constituía alimentação da gente mais pobre.
Caçapear- Andar como o coelho. Acachapado.
Caçapo- Coelho novo, láparo. Fig. Homem baixo e gordo.
Cacaréus- Trastes velhos.
Cacarejar- Cantar da galinha depois de pôr o ovo.
Cacaria- Monte de cacos, porção de objectos velhos, sem utilidade.
Caçarola- Cacoila*. Caçola. Tacho de barro, com pequenas asas, para cozinhar.
Cacetada- Pancada com uma cacete*.
Cacete- Pau curto e grosso. Moca.
Cachaço- A parte posterior do pescoço.
Cachamorra- Cacete, moca, clava.
Cachamorreiro- Caceteiro, o que bate com o cacete.
Cachão- Borbulhão, borbotão, fervura.
Cachapim- Mejengra( pássaro). Mingengra.
Cachaporra- Cachamorra*. Cachaporro.
Cachaporrada- Pancada com o cachaporro.
Cachené- Espécie de manta ou lenço com que se agasalha o pescoço. Lenço de lã fina que as mulheres usam na cabeça.
Cachepada- Criançada
Cachepita- Cachopita.
Cachepito- Cachopito.
Cachoeira- Queda de água, catadupa, cascata.
Cacho-Infrustescência agrupada indefinida com eixo mais ou menos alongados e as flores e os frutos inseridos lateralmente sobre pedicelos maiores ou menores. Bêbado como um cacho: embriagado.
Cachola- Cabeça, cachimónia, juízo. Ceia farta de carne de porco na festa da matança. Espécie de guisado confeccionado com o bofe(pulmões), o rissol e o fígado do porco ao qual se juntam batatas cortadas em cubos pequenos. Cul. Reg. da Beira Baixa, Refeição farta feita com carne de porco, pouco depois da matança.
Cacholeira- Enchido feito com aparas de carne gorda e fígado de porco aos pedaços. Regional, fígado de porco cozinhado. Cachola*.
Cachopa- Rapariga, moça pequena.
Cachopo- Rapaz, moço pequeno.
Cachorra- Cadela ainda nova.
Cachorro- Cão novo ou pequeno.
Caço- Tacho ou frigideira, de metal para tirar líquidos, especialmente azeite, das talhas ou potes, geralmente, com um cabo de madeira, e a sopa da terrina. Frigideira.
Caçoada- Zombaria, escárnio, fazer troça.
Caçoar- Fazer troça, escarnecer, zombar, brincadeira.
Caçoila- cast. Cazzuela, Caçarola, vaso de barro para cozinhar. Caçola.
Caçoilo- Caçoila pequena.
Caçola- Caçarola* de barro.
Cadabulho- Porção de terra junto às paredes e árvores, que por lhe não chegar o arado, é cavada a enxadão. Marrada*.
Cadeira-Assento com costa . Substituiu as tradicionais tropeças de sobro, os pesados cepos de toros de pinheiro, sobreiro ou laranjeira e os banquinhos de madeira, de muitos feitios que serviam para as pessoas se sentarem à lareira nas frias noites de Inverno.
Cadelo- Taramela do moinho ou da azenha.
Cafeteira- Recipiente cerâmico. O fundo convexo deste artefacto denuncia que se destinava a ser colocado directamente sobre o lume para nela se fazer a infusão de café ou chá.
Cagaço- Medo, susto, terror.
Cagadela- Dejecção de mosca.
Cagadouro- Latrina*. Local, geralmente ao ar livre, onde cagava*.
Cagalhão- Excremento humano.
Cagança-Fig.Petulância, arrogância.
Caganeira- Diarreia.
Caganetas- Excrementos de certos animais, caprinos, ovinos, em forma de pequeninas bolas. Caganitas.
Caganitas- Caganetas*
Cagão- Homem medroso.
Cagar- Dejectar, expelir qualquer coisa pelo ânus.
Cagulo- Cheio até não levar mais. A parte daquilo que se mete que fica acima das bordas da medida não rasoirada. Cogulo.
Caiadela- Caiação ligeira, mão de cal.
Caiar- Branquear com cal.
Caibro- Barrote que se fixa às traves de uma construção para se assentarem as ripas. Barrote que sustenta o soalho ou o telhado duma casa
Cairo- Fibra do fruto do coqueiro que serve para fazer seiras, capachos, ceirões, tapetes, cordas, amarras, cabos, ... .
Cajada- É um pau direito com garrancho na ponta ou seja que termina numa curva, de volta redonda ou não que serve para segurar um animal que quer agarrar.
Cajado- Bordão de pastor, bastão. Pau delgado, direito, com cerca de 1,40 metros. que servia de apoio e para defesa.
Cal- Óxido ou hidróxido de cálcio. Cal viva ou virgem: óxido de cálcio; cal apagada: hidróxido de cálcio; leite de cal: A cal hidratada diluída em água. A cal viva ia comprar-se aos fornos da Barca do Pego, Alferrarede.
Calabouço- Cadeia, prisão.
Calabre- Corda grossa e comprida que servia para prender a carrada de mato roçado nas testadas e transportado no carro de bois. Parte da nora* por onde circulavam os alcatruzes.
Calaceiro- Mandrião, preguiçoso.
Calada- Silêncio completo.
Calão- Preguiçoso, pouco amigo de trabalhar.
Calatrão- O que é velho, sem valor. Culatrão.
Calça- Peça de vestuário exterior que parte da cintura e cobre separadamente as pernas. Até c. 1950, no campo, só os homens as podiam vestir. Dar à calça: evacuar, fazer as necessidades maiores ao ar livre, acto que se praticava mesmo que houvesse casa de banho, o que era invulgar.
Calçadeira- Instrumento que ajuda a calçar as botas ou sapatos.
Calçado- Peça de vestuário para cobrir exteriormente os pés.
Calcado- Pisado com os pés. Comprimido.
Caldeira- Vaso grande de metal, especialmente, para aquecer ou ferver água, produzir vapor e cozinhar alimentos..
Caldeireiro- Artesão que faz ou conserta caldeiras, caldeirões e , de um modo geral, tachos, panelas, púcaros, ... .
Caldeiro- Vaso de metal para tirar água dos poços e cisternas. Espécie de panela grande que servia para preparar a vianda do porco.
Caldo- Sopa. Cozimento nutritivo preparado com carne, hortaliças, ... . Cozimento de hortaliças, couves.
Caldudo- (Beira) Caldo de castanhas piladas e leite.
Cale- Rego ou encaixe em peça comprida de madeira por onde corre a água, para a roda das azenhas e rodízio dos moinhos.
Caleira- Tronco escavado longitudinal/ para escoamento de águas. Calha por onde corre a água. Peça de couro com que os ceifeiros, no Alentejo, resguardavam a mão esquerda dos cortes da foice que manejavam com a mão direita.
Calha- Sulco ou rego que se abre em qualquer superfície para facilitar o deslize de líquidos ou de qualquer objecto. Cale.
Calhandra- Espécie de cotovia ou laverca com bico forte e voo rasteiro. Cobra.
Calhar- Que pode acontecer, estar disponível.. Se me calhar irei lá para a semana.
Calhau- Fragmento de rocha, pedra, seixo. Arriar o calhau: Pop significa evacuar. O mesmo que dar à calça*.
Calhordas- Indivíduo troca tintas, desprezível. Calhorda.
Caliça- Fragmentos de cal, argamassa, gesso provenientes de obras de construção ou demolição.
Calma- Calor do Sol, às horas mais quentes do dia. Sossego, serenidade. Calmaria*.
Calmaria- Ausência de vento. Tempo quente, calor.
Calmeirão- Indolente, preguiçoso. Pessoas grande. Que grande calmeirão que tu estás.
Calote- Pequena dívida que não se paga.
Caloteiro- Aquele que prega calotes, que não paga o que deve. Que é de más contas. Mau pagador.
Calracho- Erva dos prados. Escalracho. Galracho.
Cama- Móvel em que as pessoas de deitam para dormir ou descansar. Lugar afeiçoado onde os animais são recolhidos e dormem. Fazer a cama dos animais: preparar o local com palha ou mato apropriado de modo a proteger os animais da humidade e dos seus próprios excrementos.
Camalhão- Porção de terra de cultura que fica entre dois regos.
Camarada- Companheiro, colega que exerce a mesma profissão. Pessoa amiga, prestável. Camaradas: agrupamento de ceifeiros(as).
Camarrão- Lugar habitado da freguesia de Mouriscas.
Camba- Cada uma das peças curvas das roda do carro de bois. Moinho de mão. Atafona.
Cambada- Grande quantidade de coisas. Fig. Cáfila, corja, canalha. Porção de gente suspeita.
Cambal- Resguardo em folha metálica que se adapta à mó para evitar que se espalhe a farinha que vai sendo moída. Cambeira. Cambo.
Cambalhota- Volta que se dá com o corpo de cabeça para baixo. Trambolhão, tombo, queda.
Cambão- Peça em madeira e ferro na extremidade que se aplica nos arados e grades de modo a facilitar o trabalho dos animais que a puxam. Vara ou varela que constitui uma parte um engenho com que se tira a água dos poços, denominado picota*.
Cambeira(o)- Larga faixa circular de madeira, zinco ou cortiça que envolve as mós, mas algo afastadas delas, evitar que se espalhe, para aí passar a farinha que, por uma abertura própria, o panal*, vai cair no chão. Cambal.
Cambeiral- Pano que se coloca em volta da mó ou na sua frente, para que a farinha não caia. Cambeiro(a)
Cambo- Pau com um gancho* na ponta para apanhar fruto. Torto. Escambo, troca, câmbio.
Cambra ou Cambara- O mesmo que Câmara (Municipal).
Caminho de ferro- O primeiro troço da linha entre Abrantes e Castelo Branco começou a funcionar no dia 5 de Setembro de 1894. O 1º comboio a chegar a Castelo Branco foi no dia 14.7.1894. Lisboa a Carregado em 28 de Outubro de 1856. A linha do Leste começou a funcionar até ao Entrocamento no ano de 1862 e daí seguiu por Abrantes, sendo aberta em 7.11.1862. para Espanha.
Caminho- Faixa de terreno para onde se vai de um lugar para outro. Estrada, trilho, atalho. Direcção. Rumo. Caminho de cabras: vereda, caminho estreito e difícil.
Camisa- Peça de vestuário que se veste por cima da pele ou de uma camisola. Folha ou película que envolve a espiga do milho.
Camomila- Erva, anual, de caule erecto, de folhas verdes, de flores brancas, amarelas no centro. Utiliza-se na medicina popular para doenças da boca, cabelo, dores de cabeça, feridas, gripe, insolação, mesntrução, nevralgias e pele. Macela* ou marcela.
Campaínha- Pequeno utensílio com forma semelhantes à dos sinos, da mesma substância e com um toque argentino.
Camurcina- Espécie de pano imitando a camurça. Espécie de casaco. Blusão.
Cana- Planta gramínea, de haste oca, nós e entrenós, que serve de suporte aos feijoeiros, tomateiros, ... . A parte superior e lisa do caule do milho*, desde o último nó à bandeira*. Utensílio para pescar.
Canada- Antiga medida de capacidade que levava 4 quartilhos. Terreno baixo que tem a forma de canal. Atalho. Azinhaga
Canalha- Gentalha, plebe, ralé, vil, infame. Crianças.
Canastra- Cesta larga e pouco alta feita de fasquias entretecidas ou de verga.
Canastrão- Canastra ou cesto grande de verga
Canastro- Espécie de canastra mais estreita e mais funda, com os bordos altos. Pop. O corpo humano.
Canavial- Local onde crescem quaisquer gramíneas chamadas canas*.
Cancela- Porta de madeira geralmente com grades, usada nos bardos. É formada por couceiras, travessas e ripas, deixando intervalos entre si.
Candeeiro- Utensílio de várias formas e diversas matérias, com pé ou de suspensão com torcida e bico, que se emprega na iluminação e que é alimentado a petróleo ou a gás. Mais modernamente a electricidade.
Candeia- Aparelho de iluminação constituído por um vaso pequeno, em louça ou folha, com um ou mais bicos, por onde sai uma torcida alimentada por azeite contido no vaso. Nome de uma planta cuja flor tem o feitio de uma candeia.
Candil- Pequena candeia.
Candonga- Contrabando de géneros alimentícios, como azeite, milho, trigo, ... . Actividade muito desenvolvida no tempo da II Guerra Mundial.
Caneca- Vaso pequeno cilíndrico geralmente de louça, com asa.
Pesquisa e texto de : Carlos Bento, Etnógrafo e Prof. Universitário.
(Continua)
publicado por casaspretas às 16:14
link do post | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. Linguagem e Cultura nos m...

. Linguagem e Cultura nos m...

. Linguagem e Cultura nos m...

. Linguagem e Cultura nos m...

. Lingua e Cultura nos mead...

. Lingua e Cultura nos mead...

. Lingua e Cultura nos mead...

. Língua e Cultura nos mead...

. Língua e Cultura nos mead...

. Lingua e Cultura nos mead...

.arquivos

. Março 2008

. Novembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Outubro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Abril 2006

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds