Quinta-feira, 15 de Novembro de 2007

Linguagem e Cultura nos meados do dec. XX(11)

 

Continuação

 

Enguiço- Mau olhado, quebranto.
Enjeitar- Rejeitar, desprezar, repudiar.
Enjorcado- Mal trajado, vestido atabalhoadamente, mal e à pressa. Fazer mal qualquer coisa.
Enlaçar- Prender, atar, com laço. Apanhar animais a laço.
Enladeirado- Que forma ladeira, inclinado, declivoso.
Enlamear- Sujar, manchar de lama*. Enlodar.
Enleio- Aquilo que ata, liga, prende, imobiliza. Gavinha*.
Enlourecer- Tornar louro ou cobrir de louros. Enlourar, alourar.
Enluarado- Iluminado pela Lua, em que há luar.
Enovelado- Dobado, feito em novelo. Emaranhado, confuso. Enrodilhado.
Enquerideira-Corda de sisal destinada a fazer a carga no dorso de animais
Enquerir- Apertar ou ligar com a enquerideira. Dispor a carga de cada lado do dorso dos animais de modo a equilibrar-se. Pop. Encrer.
Enrodilhado- Amarrotado, amachucado, torcido, enleado, embaraçado, encolhido.
Enrugar- Fazer rugas ou pregas em. Franzir, encolher, amachucar, amarrotar.
Ensaboadela- Lavagem com sabão. Fam. Repreensão, reprimenda. Aquisição de rudimentos ou primeiras lições.
Ensebar- Untar ou sujar com sebo*, engordurar, manchar.
Ensertar- Tirar um bocado de algo. O pão já foi ensertado: já lhe foi tirado um bocado. Ou encertado= encetado?     
Ensesgar- Lavrar a terra obliquamente, enviesado.
Ensirrostro- Que tem o bico em forma de espada.
Ensoado- Recozido pelo Sol. Insolado.
Ensoar- Recozer-se ao calor do Sol. A melancia está ensoada e por isso foi para ao animais.
Ensopado- Guisado de carne ou peixe servido sobre fatias de pão.
Ensopar- Fazer um alimento absorver um líquido.
Ensosso- Que tem falta de sal, insípido, desenxabido. pop. Insonso.
Entancar- Represar a água fluvial ou corrente em tanque ou represa. Empoçar.
Enterreirada- Diz-se da árvore que está cheia de frutos, em princípio maduros, no chão. A oliveira enterreirada: com muita azeitona caída no chão.
Enterro- Enterramento, funeral, préstito fúnebre..
Entesar- Tornar teso ou tenso. Esticar, tornar-se rijo. Criar orgasmo.
Entrançar- Dar forma de trança, entrelaçar, entretecer.. Entrançar cebolas: o mesmo que embraçar* cebolas.
Entre Serras- Lugar da freguesia de Mouriscas, sito na sua parte Norte.
Entretinho- Nome vulgar do mesentério do porco.
Entrevado- Que não se pode mover, tem os membros sem movimento. Paralisado, paralítico.
Entroviscar- Espalhar trovisco* na água das água das ribeiras ou rios para envenenar os peixes.
Entrudo- Carnaval. Os três dias que antecedem a entrada da Quaresma. É tempo de pregar partidas. Pessoa que se veste ridiculamente, que se mascara.
Enxabido- Insulso, desenxabido, sensaborão. Ensosso*.
Enxaca- Cada um dos lados do seirão* que se coloca nas bestas de carga.
Enxada- Alfaia agrícola composta de um cabo e uma pá em ferro. A forma de lâmina é variável, segundo a natureza dos solos ou das culturas. Na região é quase quadrada, distinguindo-se do enxadão, em cuja lâmina rectangular se verifica um destaque do comprimento em relação à largura, muito menor. Serve para entancar, regar culturas de regadio e ainda para sachar ou revolver a terra à volta de certas plantas.
Enxadão- Alfaia agrícola composta de cabo de pau( eucalipto, oliveira, freixo, salgueiro, carvalho, ... ), olho ou alvado, abertura onde se introduz o cabo, garganta, a parte que liga o olho à pá, , espalmada, em ferro, de forma rectangular, que pode ser raso ou petas e serve para rasgar a terra, a cunha, que se introduz no próprio cabo. Serve para cavar, fazer regos, enleirar, ... .
Enxalmo- Manta que se coloca por cima da albarda* que se destina a aplanar e tornar mais macio o assento ou sobre as bestas para as resguardar do frio.
Enxame- Conjunto das abelhas de um cortiço. Multidão.
Enxaugar- Corruptela de enxaguar. Lavar, passar por água repetidas vezes.
Enxerga- Enxergão pequeno, duro e grosseiro. Cama de pobre. Espécie de almofada que assenta na albarda.
Enxergão- Espécie de enxerga ou saco grande cheio de palha que se usa nas camas debaixo do colchão da cama.
Enxergar- Ver a custo, com dificuldade. Ver, avistar, distinguir, adivinhar, perceber..
Enxerir- Enterrar, cravar, plantar: enxerir um estaca. Corrupela: Enxarar. Enxarar o feijão de embarrado: enterrar canas para que ele se embarre ou se dependure nelas, enleando-se nelas
Enxertia- Prática cultural que se destina a propagar por via vegetativa determinadas plantas com aproveitamento de outras cujas qualidades convém ao agricultor associar, sob certos aspectos, a algumas das qualidades da primeira.
Enxerto- Operação que consiste em introduzir uma parte viva dum vegetal noutro vegetal.
Enxó- Instrumento de carpinteiro ou tanoeiro para desbastar madeira
Enxofradeira- Instrumento que serve para enxofrar as vinhas e outras árvores de fruto.
Enxofrado- Polvilhado de enxofre. Mistura preparada com enxofre. Fig. Fam. Irado, agastado, arreliado.
Enxofrado- Zangado, irado.
Enxofre- Corpo simples, sólido e amarelo e combustível.
Enxotar- Fazer fugir, afugentar, repelir, expulsar.
Enxoval- do ár ax-xuvar=dote, Colecção de roupas interiores e de casa, de adornos, ..., que a noiva traz para o casal. Conjunto de roupas e adornos necessários para uma criança recém-nascida, para uma colegial, ... .
Enxúndia- Gordura ou banha das aves: exúndia de galinha.
Enxuto- Seco, sem humidade. Abrigado da chuva. Pessoa magra.
Era costume fazer tosquiados artísticos na anca dos animais. Pessoa muito estúpida.
Ermo- Lugar sem habitantes, deserto, descampado, despovoado.
Erva- Qualquer planta anual ou vivaz que não é árvore nem arbusto e que morre logo que frutifica. Vegetação espontânea. Ervas: plantas herbáceas e forraginosas. Eram utilizadas para feno. Erva cidreira, Melissa officinales, L, Planta lamiácia. Melissa. O seu chá serve para curar as doenças do estômago.Erva doce, Pimpinela anisum, L , Planta herbácea da família das umbelíferas. A água do seu cozimento faz bem às cólicas intestinais e acalma os espasmos. Ervilha de cheiro, Planta odífera leguminoda papilonácea.
Erva-do-bom-pastor- Erva anual, espontânea, de caule florífero ercto, com as folhas da base em roseta junto ao sol, com florwes barncas todo o ano. Tem propriedades adstringentes, hemostáticas e tónicas, utilizando-se nas feridas, hemorragias, menopausa e seios. Bolsa-de-pastor.
Ervedeiro- Medronheiro*.Ervilha- Planta leguminosa. A vagem ou a semente desta planta que serve para alimentação humana, quer em vagem, quer em semente.
Ervedo- Conjunto de ervas muito bastas. Ervaçal. Ervescal.
Ervilha- Planta leguminosa. A vagem ou a semente desta planta que serve para alimentação humana, quer em vagem, quer em semente.
Ervilhaca- Planta forraginosa e leguminosa que nascia no meio das searas de trigo e era preciso arrancá-la na monda.
Esbaforido- Ofegante, esbofado.
Esbagoar- Tirar os bagos a.
Esbandeirar- Tirar a bandeira* ao milho.
Esbarrigado- Diz-se do indivíduo que traz descaídas as calças. De barriga aberta.
Esbarrondar- Desmornar, desfazer.
Esbarrondar- Desmornar, esboroar, cair.
Esbodegar-se- Cansar-se, fatigar-se.
Esborcelado- Com as bordas partidas.
Esborcelar- Quebrar as bordas de. Uma panela de barro esborcelada: aquela que tem as bordas partidas ou quebradas. Esborcinar, esbotenar, esboucelar.
Esborralhador- Vara de pinheiro, castanho, ou de outra madeira, que serve para esborralhar as cinzas e o borralho do forno. Vassoura própria para varrer o borralho. Esborralhadouro.
Escabeche- Conserva de vinagre, cebola e temperos para peixe ou carne.
Escabeche- Conserva de vinagre, cebola e temperos para peixe ou carne.
Escabroso- Que tem grande declive, escarpado, íngreme. Difícil, melindroso. Que é contrário às conveniências ou ao decoro.
Escachar- Rachar ao meio, fender, separara, abrir.
Escada- do lat. scalata, Série de degraus por onde se sobe ou desce.
Escadote- Escada pequena; móvel com quatro pernas.
Escalavrar- Arranhar, produzir escoreação em, golpear.
Escaldadiço- Que facilmente se escalda.
Escaldar- Queimar com líquido quente ou fervente. Meter em água quente. Queimar.
Escaleira- Escada, degrau da escada.
Escalfado- Passado por água muito quente.
Escalho- Chocalho*.
Escalracho- Gramíne vivz que nãp favorece as plantações.
Escalracho- Planta gramínea vivaz prejudicial às searas. Galracho.
Escamado- Zangado. Sem escamas.
Escanar- Cortar a cana(bandeira) ao milho.
Escancarado- Aberto de par em par, completamente.
Escangalhar- Desmanchar, desconjuntar; estragar, rachar, tirar os cangalhos*.
Escapadela- Fuga, retirada súbdita e às ocultas. Esquivança.
Escaqueirar- Fazer em cacos, partir.
Escarafunchar-. Do lat. scariphunculare, Investigar; procurar com minúncia; remexer a terra como as galinhas; esgravatar.
Escaranchar- Pôr alguém a cavalo, abrindo-lhe muito as pernas.
Escarchado- Diz-se do licor de anis obtido pela infusão em aguardente de um ramo aromático de anis, sobre o qual vem cristalizar-se o açucar, em virtude de um excesso de adoçamento.
Escarolar- Tirar o grão do carolo* do milho.
Escarpelada- Desfolhada*.
Escarpelar- (de carpela) Desfolhar o milho.
Escavacar- Fazer em cavacos, quebrar, despedaçar. Alquebrar.
Escopro- Instrumento de aço com que corta ferro ou se lavra madeira, pedra, ... Cinzel.
Escorpião- Lacrau. Anecral*.
Escorrega- Lugar habitado da freguesia de Mouriscas.
Escorrido- Escoado, esgotado.
Escorropichar- Beber até à última gota. Esgotar.
Escoucinhar- Dar couces. Escoucear ou escoicear.
Escova- Utensílio para limpar fatos, móveis, dentes, cabelos, soalhos, animais. 
Esfalfamento- Grande cansaço, enfraquecimento por excesso de trabalho.
Esfedelhar- Desfazer, partir em pedaços. ??????  
Esfolar- Arranhar, escoriar, despojar da pele. Vender muito caro, explorar nos preços, esmagar com impostos.
Esfolhar- Tirar as folhas às canas do milho.
Esfregão: Pano próprio para a esfrega, limpeza.
Esfuracado- Esburacado.
Esfuracar- Esburacar, fazer buraco em .
Esgaçar- Corruptela de esgarçar que significa rasgar, separando separandoo os fios de um tecido. Separar os ramos de uma árvore sem os cortar.
Esgalhar- Podar, desramar, partir.
Esgalho- Rebento de árvore; galho.
Esganado- Que, ou aquele que tem muita fome: O José está esganado com fome.. Estrangulado. Sufocado.
Esganiçar- Tornar aguda, estridente a voz.
Esgaravatar- Remexer, revolver com as unhas; coçar (nariz ou os ouvidos). Pop. esgravatar.
Esgrouviado- Alto, magro. Desalinhado, desgrenhado.
Esguelha- Través, soslaio, obliquidade. Olhar de esguelha: olhar de lado.
Esladroar- Tirar os rebentos novos, os ladrões às plantas.
Esmifrar- Corruptela de esminfrar: Sugar; explorar abusivamente, alguma coisa de alguém.
Esmocar- Desprender galho ds sua origem. Partir ramos. Quebar com pancada.
Espadela- Instrumento de madeira, com forma de cutelo, para sacudir os tomentos do linho.
Espadelagem- É a operação que permite separar os tomentos do linho com a ajuda da espadela de madeira.
Espairecer- Distrair, divertir, passear, entreter-se.
Espalha-brasas- Pessoa estarola, alegre, estouvada.
Espantalhos- Figuras de palha, com feições de seres humanos que se colocam nos campos, no meios das searas maduras e frutos maduros, para afugentar os bandos de pássaros. Para além destas figuras de palha usam-se outros objectos, como sejam: cântaros, telhas, cacos de louça, ... . Também se colocava uma garrafa no alto de uma cana comprida que servia para espantar os milhafres, afastando-os dos pintaínhos.
Espargo- Planta liliácea caracterizada por ramos carnudos comestíveis.
Espartaria- Lugar onde se fabricam ou vendem obras de esparto*.
Esparteiro- Fabricante ou vendedor de obras de esparto, com sejam, seiras, capachos, esteiras.
Esparto- do lat. spartu< do gr. spártos, Planta gramínea, cujo caules rijos e flexíveis servem para fazer esteiras, capachos* ou cordas.
Especar- Segurar, amparar com espeque, escorar. Parar, estacar.
Espelunca- Casa imunda.
Espenicar- Depenar, tirar as folhas.
Espeque- pau ou vara para segurar alguma coisa para não cair. Escora, apoio. Fig.Arrimo, amparo.
Espera- Pau para colocar o carro direito.
Espernegar-se- Deitar-se ao comprido descuidadamente
Espeto- Utensílio de ferro ou de pau pontiagudo para assar carne ou peixe.
Espicaçar- Ferir com o bico, picar com instrumento agudo. Aguilhoar.
Espichado- Esticado, estendido.
Espichar- Esticar, alongar, estender.
Espiga- do lat. spica, Parte superior da haste das gramíneas que contém o grão. Contratempo, mau negócio, prejuizo.
Espigado- Que desenvolveu espiga. Fig.: Crescido, desenvolvido.
Espingarda- Arma de fogo portátil, de um ou dois canos compridos.
Espinha- Nome comum a todas as saliências ósseas que no corpo humano se apresentam alongadas. A coluna vertebral. Osso de peixe. Fig. : cume dos montes, crista, espinhaço.
Espinhaço- Coluna vertebral; costas; dorso.
Espinho- Excrecência acerada que sobressai do lenho de certos vegetais. Fig: dificuldade, tormento.
Espinotear- Dar pinotes*, escoucear.
Espiolar- Tirar piolhos. Examinar com minúcia. Espioulhar.
Espirro- Esternutação. Deve saudar-se quem espira sob pena do diabo entrar nessa pessoa. A pessoa que o faz já não morre nesse dia.
Espoar- Peneirar segunda vez a farinha para que fique mais alva.
Espojado- Rebolado no chão. Fig: deitado na cama.
Espojar- Fazer cair na terra, rebolar-se no chão. Era frequente as bestas deitarem-se no meio do pó, muitas vezes com carga.
Espojeiro- Lugar os animais se espojam. Espojadouro.
Esponsão- Trapo de limpeza utilizado nos trabalhos mais sujos. Trapo, esfregão*
Espora- Haste de metal com um espigão munido de uma roseta que se adapta ao calcanhar do calçado, para incitar as cavalgaduras. Nome de planta de jardim.
Esporão- Doença que ataca os cereais. Cravagem. Saliência córnea existente na parte posterior do tarso dos galos.
Espremer- Comprimir, apertar para extrair um líquido.
Espulgar- Tirar a pele às batatas ou às castanhas cozidas. Tirar as pulgas a .
Esquadria- ângulo recto; corte em ângulo recto; instrumento de madeira ou metal com que se medem ou traçam ângulos rectos; esquadro;
Esquadro- instrumento com que se formam ou medem ângulos rectos e se tiram linhas perpendiculares; esquadria.
Esquentamento- Acto ou efeito de esquentar, acalorar. Pop.: gonoreia.
Estábulo- do lat. stabulu, Curral para gado, corte, malhada.
Estábulo- do lat. stabulu, Curral para gado, corte, malhada.
Estaca- Oliveira nova. Ramo de planta que se enterra no solo para ganhar raízes. Pau aguçado, também de ferro com uma argola, que se crava no solo e serve para segurar a corda que prendia o gado caprino e ovino quando pastava no campo. Ir prender o gado: significava tirá-lo do curral e levá-lo, preso, para a pastagem, operação que, da parte da manhã, se realizava pelas 10 horas- antes a erva estava molhada e fazia mal. À tardinha, já ao anoitecer ia soltar ou buscar o gado, que era conduzido ao curral onde pernoitava. Sempre preso para poupar as árvores de fruto, as couves, feijões, sempre tão cobiçadas por cabras e ovelhas.
Estacal- Terreno plantado de estacas. Olival novo.
Estafa- Grande trabalho, fadiga, canseira.
Estafado- Fatiado, cansado, exausto. Gasto pelo uso.
Estafermo- Espantalho, basbaque, pessoa sem préstimo.
Estalada- Bofetada com a mão. Alguma coisa partida, rachada.
Estalagem- Hospedaria, albergaria, pousada, abrigo.
Estampilha- Bofetada*.
Estarola- Pessoa estroina e leviana. Doidivanas.
Estercar- Adubar a terra com esterco ou estrume. Estrumar.
Esterco- Estrume animal ou vegetal para adubagem dos terrenos agrícolas.
Esterqueira- Estrumeira, lugar imundo, monturo.
Esterroar- Desfazer os torrões de terra. Desterroar.
Estiar- Cessar de chover, tornar-se seco (o tempo )
Estilha- Lasca de madeira, fragmento, cavaco. Estilhaço.
Estio- Verão. Idade madura.
Estirada- Longa caminhada. Estiraço, estirão.
Estonar- Tirar a pele ou a casca a. Semelhante a descascar, pelar. (Dic.da AC.Lisboa, I 2001, 1585). Tirar as tonas(folhas) às maçarocas(espigas) do milho.
Estopa- Tecido fabricado com a parte grosseira do linho.
Estopada- Porção de estopa. Fig: Maçada, impertinência, enfado.
Estorninho- Pássaro conirrostro, da famíla dos estrunídeos, de penas variadas ou então negras, com bico comprido e pontiagudo.
Estortegar- Torcer, deslocar. Estorcegar.
Estrada real- De Lisboa a Castelo Branco, um caminho mais alargado, de Abrantes passava por Mouriscas, Penhascoso, Mação, Vila da Lapa, Venda Nova, Água Quente, Sarnadas e Castelo Branco.
Estradalhaço- Espalhafato, barulho, balbúrdia.
Estrado- Sobrado. Um pouco levantado acima de um pavimento; estrado para a braseira: base que auorta a braseira de metal.
Estrafegar- Esganar, estrangular, afogar.
Estragação- Destruição, desperdício, deteriorado. Coisa estragada
Estravantar- Deixar de chover e vinda de bom tempo. Leventar o tempo.
Estrelado- Que tem estrelas. Diz-se do ovo ou ovos fritos sem serem batidos.
Estrema- Limite, demarcação de terras, feita com marcos de pedra e mais tarde de cimento. Estremadura, estremo.
Estreme- Que não tem mistura, puro, genuíno.
Estremunhado- Estonteado com o sono, mal desperto. Estrovinhado.
Estribo- Peça de metal ou de madeira em que o cavaleiro firma o pé. Ossículo do ouvido interno.
Estroçoar- Partir aos bocados.
Estroina- Pessoa extravagante, doidivanas, boémio.
Estronca- Pau que impede que o cabeçalho do carro poise no chão. Espera*.
Estrovo- Fio que prende o anzol à linha de pesca. Fig. Embaraço.
Estrugido- Tempero culinário feito com cebola e gordura. Refogado.
Estrugir- Cozer cebola em gordura, deixando-a transparente e com uma cor que vai do branco-marfim até ao castanho. Refogar.
Estrumada- Estercada*.
Estrume- Esterco*.
Estufado- Processo de cozedura que consiste em cozer um alimento em peça, lenta e suavemente, nos seus próprios sucos e nos sucos de outros alimentos que lhe são adicionados: guisado.
Estupor- Pessoa de más qualidades. Estapor(pop.).
Esturrar- Torrar em excesso, estorricar. Criar esturro na comida.
Esturricar- Torrar muito. Secar até ao ponto de parecer queimado.
Esverçar- Esfregar as couves galegas umas contra as outras e espremê-las, depois de segadas e lavadas, para o caldo verde.
Esvidar- Limpar a vinha das vides*, após a poda.
Eucalipto- Eucalyptus globus Labill, Género de árvores mirtáceas oriundas da Austrália. O seu xarope cura a tosse e alivia os brônquios. Pop.: ecalitro.
Faca- Instrumento cortante composto de lâmina de gume e de cabo.
Facalhão- Grande faca. Facão. Era com ele que se matava o porco no dia da matança.
Faceira- A carne dos lados do focinho dos bovinos.
Faceiras- Correias da cabeçada que cingem o freio* da cada lado.
Fagulha- Centelha, faúlha, chispa de lume.
Falatório- Murmuração. Ruído de muitas vozes.
Falcão- Ave de rapina utilizada na caça de altanaria.
Falcatrua- Fraude, ardil, vigarice.
Fanfarrão- O que lardeia valentia, sem a possuir. Gabarola, cheio de bazófias.
Fanga- Antiga medida de cereais e de sal de 4 alqueires. Medida de azeitona de 20 litros.
Fangueirada- Pancada com o fangueiro.
Fangueiro- Fueiro*.
Fanico- Desmaio, chilique. Migalha, pedacinho. Fazer em fanicos: fazer em pedaços.
Fardo- Coisa ou um conjunto de coisas, mais ou menos pesadas e volumosas, destinadas a ser transportadas. Por ex. Fardo de palha. O que custa a suportar ou o que impõe responsabilidades.
Farelos- A parte mais grossa da farinha depois da primeira peneiração. Resíduos grosseiros dos cereais moídos.
Farinha- Pó a que se reduzem os cereais depois de moídos.
Faro- Olfacto excessivamente apurado dos cães e de outros animais. Cheiro. Pressentimento.
Farrapada- Amontoado de farrapos*.
Farrapeiro- Homem quee anda pelas povoações recebendo trapos e dando em troca agulhas, linhas, botões, .. .
Farrapo- Pano roto ou muito usado. Trapo. Pessoa maltrapilha.
Farto- Saciado, satisfeito, atulhado, abarrotado. Enfastiado, , cansado, esgotado.
Fataça- Tainha grande, muge.
Fateixa- Arpão com que se tiram objectos do fundo da água.
Fatia- Pedaço de forma achatada, delgada e comprida de pão, queijo, ... . Talhada.
Fatilho- Espécie de almofada circular que se coloca no pescoço dos animais, por detrás do bornil.
Fato- Roupa exterior, vestuário.
Fava- Planta leguminosa hortense de semente comestível. Vagem ou semente dessa planta. Tem um sentido fálico. Faveira.
Faval- Terreno semeado de favas.
Fazenda- Prédio rústico, propriedade agrícola.
Fechadura- Aparelho de madeira ou de metal que, por meio de uma ou mais linguetas e com o auxílio de chaves, fecha portas, gavetas, ... .
Fedelho- Criança que cheira a cueiros, rapazito, criançola.
Fedor- Cheiro nauseabundo
Feijão- Semente ou vagem do feijoeiro*. Feijoeiro. Feijão frade(Vigna sinensis, Stickm)
Feijoada- Preparado culinário de feijões.
Feijoeiro- Planta leguminosa que produz feijões.
Feira- do latim=dia de festa, Lugar público e descoberto onde se expõem e vendem mercadorias. Balbúrdia.
Felosa- Pequeno pássaro dentirrostro. Pop.pessoa magra e fraca.
Fenestra- Janela, fresta.
Feno- Erva ceifada e seca ao sol destinada à alimentação do gado. Planta gramínea.
Fermento- Substância ou agente orgânico que tem a propriedade de determinar a fermentação noutra substância. Levedura. Crescente.
Ferrada- Vasilhas de barro ou de cortiça para a ordenha do leite das cabras e ovelhas.
Ferrado- Ferrada*.
Ferrador- O especialista que ferra os animais: gado cavalar, bovino, muar e asinino. No desempenho da sua profissão usa um avental de couro( carneiro ou bezerro) preso à cintura, que prende à cinta com a ajuda de uma correia com fivela. Utiliza a bigorna para afeiçoar as ferraduras* e canelos*, que é uma peça de ferro, calçada de aço, assente num banco de madeira onde se fixa por meio de um espigão. Utiliza no seu ofício as seguintes ferramentas: a turquês para cortar as pontas dos cravos*, depois enterrados nos cascos dos animais, para arrancar ou que foram muito metidos ou para arrebitar o bico do cravo ou seja dobrá-lo para não cair; o martelo para pregar os cravos; o formão para aparar os cascos dos animais; a grosa para grosar o caso antes e depois de aparado; o martelo de orelhas para pregar o cravo ou para arrancá-lo quando ficou pouco metido; e os cravos. Os bovinos e outros animais- muares e asininos- mais bravios, durante a operação são encurralados dentro do tronco* do ferrador: estacas grossas de pinho ou carvalho ou outra madeira resistente. O animal quando está a ser ferrado está também seguro: nos cornos por uma corda; por baixo da barriga por uma cilha, que se prende no sarilho. Ofício que antigamente tinha Regimento na Colecção do Senado de Lisboa, de 1572.
Ferradura- Peça de ferro que se forja e afeiçoa de modo a adaptar-se na face inferior dos cascos de bovinos, cavalares, muares e asininos. A ferradura, para além da sua própria função que é a da proteger as patas dos animais, passou a ter um extraordinário valor simbólico e supersticioso, em virtude da substância e da forma: é de ferro logo o seu poder contra a feitiçaria. A sua forma está ligada ao culto da Lua: vê-se na ferradura uma espécie de meia-lua, que convencionalmente, representa o crescente. Também significa atropelamento e por extensão, expulsão, aniquilamento dos maus espíritos. Para que produza efeitos, sempre depois de usada, deverá ser pendurada na porta da casa, por dentro ou por fora. Para o mesmo efeito usam-se ferraduras nos estabelecimentos comerciais, nos moinhos e azenhas, nos lagares de azeite, na cerca do porco. Ao que parece de origem germânica. Bolo de ovos e açúcar que tem a forma de ferradura.
Ferrar- Pôr ferro em. Colocar ferraduras nas bestas. Para o gado vacum diz-se pôr canelo que consta: de uma parte vertical(unha), outra horizontal() e cravos.
Ferraria- Fabrico de ferragens. Loja ou arruamento de ferreiros.
Ferrarias- Lugar habitado da freguesia de Mouriscas.
Ferreirinha- Pássaro conisrrostro, que no Verão aparecia em Mouriscas e era caçado com costelas.
Ferreiro- O artífice que trabalha com o ferro e o transforma em vários objectos ou peças, que vende. Pássaro conisrrostro. Ofício que antigamente tinha Regimento na Colecção do Senado de Lisboa, de 1572. Pássaro conisrrostro, que no Verão aparecia em Mouriscas.
Ferrejo, do lat. ferragine, Ferrã, centeio, cevada ou centeio que se ceifa antes de espigar para alimento do gado.
Ferroada- Picada com ferrão, aguilhoada.
Ferrolho- Tranqueta corrediça de ferro que serve para fechar portas e janelas.
Ferro-velho- Homem compra e vende objectos usados e de pouco valor, deslocando-se pelas casas das pessoas.
Fervura- Estado do líquido que ferve. Ebulição.
Festa- Dia de descanso, de regozijo, comemoração. Solenidade religiosa ou civil.
Festão- Ramalhete de flores e folhagem. Ornamento em forma de grinalda, ligeiramente curva.
Festeiro- O que faz ou dirige uma festa. O que gosta e frequenta festas.
Figa- Pequeno objecto em forma de mão fechada que se usa , supersticiosamente, como esconjurador de malefícios, doenças, ... . Trata-se de um resquício de um simbólico fálico da mão.
Figo- Fruto da figueira utilizado na alimentação humana, na engorda dos porcos e no fabrico de aguardente. Quando secos ao sol tomam a designação de passas. O xarope de figos secos, com pimpenela*, cura os catarros e as constipações.
Figueira- Ficus carica, L, árvore frutífera da família das moráceas, cujo fruto é o figo. O seu suco, colocado sobre as picadas do lacrau atenua a dor, evitando inflamações. O Segundo o agoiro não é bom estar à sombra da figueira, nem quando faz trovoada, e quem cai dela abaixo quase sempre morre. Quem queima folhas de figueira em casa onde se cria criança, seca o leite à mãe.
Filhó- Bolo frito feito de massa finta. Plur. Filhós. Também se diz filhós no singular que no plural passa a ser filhoses. Este doce é feito de farinha de trigo levedada. Fabricam-se na sertã, em azeite a ferver, deitando um pouco de massa estendida até se cozer ou fritar. As filhós comem-se frias ou quente, especialmente pelo Natal e Ano Novo.
Filhós- Cul., Bolo pequeno de farinha, ovos e outros ingredientes, que depois de frito é polvilhado com açúcar, canela ou passado por calda de açúcar. (Dic.da AC.Lisboa, I 2001, 1748).Ver bolo.
Finta- Imposto. Lêvada(massa)
Fintar- Fazer levedar a massa do pão, dos bolos; crescer. (Dic.da AC.Lisboa, I 2001, 1755). Enganar.
Finto- Que levedou, fermentou ou se fintou. (Dic.da AC.Lisboa, I 2001, 1756).
Fisga- Forquilha a que se prende um elástico ou borracha usada pelas crianças para atirar pedras aos pássaros. Arpão para pescar.
Flanela- Tecido de lã fina, pouco encorpado.
Fleimão- Tumor inflamado. Freimão.
Flosa- Folosa, felosa*.
Foçar- Revolver com o focinho, escavar. Acto muito próprio dos suínos.
Fogaça- do lat. focacia<focu=fogo, espécie de bolo*grande. Bolo ou presente que em festas populares se oferece à Igreja depois se vende em leilão. Aramações fantasiosas com ramos e fitas garridas, que levam as pessoas nas procissões.
Fogaceira- Cestos com frutas, bolos, cereais, pão, ... , enfeitados para o efeito. Rapariga que leva a fogaça nas festas religiosas.
Fogacho- Chama súbdita, pequena labareda. Fogaréu.
Fogagem- Erupção na pele, borbulhagem.
Fogareiro- Utensílio de barro ou de ferro com fornalha para cozinha, a carvão ou a lenha.
Foguete- Peça de fogo de artifício que sobe na atmosfera, onde deflagra ou derrama fogos de variadas cores. Utilizavam-se, abundantemente, pelas festas. Mouriscas é uma terra importante no fabrico de foguetes, de fogueteiros.
Fogueteiro- Fabricante de foguetes e outro fogo de artifício: fogo-do-ar, fogo-preso e fogo-aquático.
Foição- ferramenta para cortar erva ou feno(foice)
Foice- Instrumento curvo, com gume serrilhado ou dentes, para ceifar ou melhor segar, muito utilizado no corte dos cereais e outras ervas. É composta de : bico, costas, dentes, que servem para cortar caules mais duros, espigão que entra no cabo, argola de ferro e rabo ou cabo, em madeira. Também existem foices de gume liso. Os dois tipos de gume estão ligados a duas formas de actuação funcional: no de serrilha o manejo é lento, enquanto no liso é lento.
Foínha- Pessoa avarenta. Fuinha.
Fole- Instrumento para fazer vento para activar a combustão. Saco de pele, normalmente de cabra, ou de pano para transportar cereais e farinha destinas a fazer pão. Taleiga/o*
Folha- Órgão apendicular, de forma variada, geralmente plano e de cor verde que se desenvolve no caule e nos ramos das plantas. Parte cortante de alguns instrumentos.
Folhedo- Conjunto de folhas caídas de árvores. Folhagem.
Fona- Azáfama, lufa-lufa. Andar numa fona: Trabalhar ou agir depressa, sem descanso. Indivíduo fraco, vagaroso.
Fontaínha- Pequena fonte*. Em Mouriscas há um lugar denominado Fontaínhas.
Fonte Branca- Lugar habitado de Mouriscas, que fica na parte sul.
Fonte- Nascente de água. Na fonte rudimentar a água bebia-se por uma folha ou telha. Chafariz, bica artificial donde corre água para uso doméstico.
Fonte Sapo- Lugar habitado da freguesia de Mouriscas.
Fontes existentes nas Mouriscas: Fonte da Cré, Fonte da Ladeira, Fonte da Venda, Fonte dos Amores, Fonte dos Pinheiros, Fonte Ferro, Fonte Sapo, .Fonte do Surdo, ... .
Forca- Forquilha*. Armadilha.
Forcado- Instrumento de lavoura formado de uma haste terminada em duas ou mais pontas, de madeira que serve para voltar os montes de trigo na eira, quando da sua malha, para carregar e descarregar mato, de suporte de ramos de árvore, videiras e para ajudar a espalhar a lenha do forno quando da cozedura do pão. Forcalho. Forqueta.
Forcalho- Forcado.
Forja- Fornalha, folhe e bigorna de se servem os ferreiros e outros artífices. Oficina de ferreiro.
Formão- utensílio de ferro para abrir cavidades na madeira; instrumento cortante de que se servem os ferradores para cortar o casco da besta.
Formiga- Pequeno insecto himenóptero da família dos formicídeos.
Formigueiro- Buraco onde vivem e se recolhem as formigas.
Fornada- Aquilo que se coze ou assa de uma só vez no forno.
Fornalha- Local onde se acende o lume e arde a lenha ou outro combustível. Lugar excessivamente quente, calor intenso. Lareira.
Forneira- Mulher que trata de um forno ou é a sua dona. Há um lugar em Mouriscas com a designação de Forneira.
Forno- Construção abobadada, de tijolo próprio, ladrilhada a tijolo, com uma porta, para cozer pão, assar carne, ... . Ao interior do forno chama-se cogruta e ao ladrilhado o lastro. São apetrechos do forno: a pá, o rodo, o forcado, ... .
Forqueta- Pau bifurcado, isto é, com duas pontas. Forcado.
Forquilha- Forcado pequeno, de madeira ou metal de três ou mais dentes rectos no plano do cabo. De ferro, que serve para juntar estrume, colocar o mato nas estrumeiras, fazer as camas dos animais, carregar e descarregar mato, e de pau para limpar o pão das eiras, é composta por: dentes, coração da forquilha, por esta estar no centro e cabo.
Forragem- Erva para a alimentação do gado.
Forrica- Dejecções quase líquidas. Excrementos das galinhas. Furrica.
Forricoso- Matéria muito líquida. Figos forricosos: muito moles, cheios de água.
Fraco- Sem forças, débil, franzino. Mole, frouxo, pouco atilado. Bebida com pouco álcool.
Frade- Membro de uma comunidade religiosa. Variedade de feijão também designado por feijão preto, de duas caras ou fingido.
Fragateiro- Tripulante de fragata no Tejo, que fazia viagens entre Mouriscas e Lisboa.
Fralda- Parte inferior da camisa que, habitualmente, ficava dentro das calças. Sopé.
Fraldeiro- Molherengo, amaricado, efeminado.
Francalete- Correia afivelada.
Francela- Tabuleiro de pinho, levemente inclinado, de vários tamanhos, com abas e uma bica para escorrer o almece da coalhada, onde se faz o queijo. Tem travessas ou beiras e assenta em quatro pernas ou pés. Queijeira, barrileira.
Franga- Galinha nova que ainda não põe ovos.
Franganota- Franga crescida. Rapariga casadoira.
Franganote- Franganito. Rapaz já espigado. Frangalhote.
Frango- O folho da galinha já crescido, mas de ser galo.
Frasca- Louça de mesa, bateria de cozinha.
Frasco- Vasilha de vidro, geralmente, de boca estreita e gargalo curto, destinado para líquidos e compotas.
Frega- Grande quantidade. Máximo, auge.
Freguês- Habitante de uma freguesia. O que compra ou vende ou presta um serviço, habitualmente, a certa pessoa. Cliente.
Freguesia- Subdivisão do concelho. Clientela de uma loja ou taberna e de um moleiro..
Freio- Peça de metal presa às rédeas, que se introduz na boca das bestas e serve as guiar. Travão, sujeição, obstáculo.
Freixo(Fraximus, L)árvore da família das oleáceas, que cresce junto aos rios e ribeiras.
Fresca- Aragem agradável que sopra ao cair da tarde, em dias quentes. Fresquidão. Cozido há pouco, não salgado.
Fresco- Não muito frio, ameno, agradável, aprazível. Cozido há pouco, não salgado
Fressura- Conjunto de vísceras de alguns animais, como o porco, o cabrito, o borrego, e que inclui fígado, baço, pulmões e corações.
Fressura- do lat. frixura= frigideira*, Conjunto de vísceras mais grossas de alguns animais, como pulmões, fígado, coração, ... .
Fresta- Abertura estreita em parede. Fenda, frincha. Espécie de janela muito alta e muito estreita.
Fretar-Alugar, ceder a frete.
Frete- Aluguer de carro, animal, embarcação, ... . O que se paga por um transporte ou coisa trasportada. A oferta dos pais dos noivos aos padrinhos feita antes do casamento, constituído por um ou mais tabuleiros que comportam: 1 perna de carne fresca, de cabra ou ovelha, bolos , arroz doce, 1 ou 2 garrafas de vinho, ... . Os padrinhos ofereciam louça fina, roupas da cama, ... .
Friagem- Muito frio. Frialdade. Tempo muito frio. Frieldade.
Frieira- Inflamação com inchaço e prurido produzida pelo frio. Pessoa comilona.
Frigir- Cozer na frigideira, com unto, banha, azeite ou outra substância gordurosa ou oleosa. Fritar.
Frincha- Fenda, fresta, greta. Pequena abertura.
Friso- Banda ou tira pintada na parede. Ornato de escultura.
Frito- Alimento cozinhado com gordura ou óleo muito quente. Bolo pequeno de massa frita, polvilhado com açúcar e canela. Semelhante: Coscorão, filhó, fritura, sonho. (Dic.da AC.Lisboa, I 2001,1824).
Fritura- Qualquer coisa frita. Fritada.
Fronha- Espécie de saco cheio de lã ou outra substância macia que forma o travesseiro ou almofada.
Frunco- Corruptela de furúnculo, Inflamação circunscrita de origem estafilocócica, em torno de uma glândula sebácea e de um pelo e que termina, habitualmente, por supuração. Freimão. Fleimão.
Fruta- Frutos comestíveis.
Fruteira- Árvore frutífera. Cesto ou vaso em que se põe a fruta.
Fruto- O produto da terra para sustento do homem. Filho, prole. Utilidade, proveito, resultado. Produto, rendimento.
Fueirada- Pancada com fueiro.*Conjunto de fueiros.
Fueiro- do lat. fanariu=relativo a corda. Estaca ou pau delgado, aguçado numa das extremidades que, enfiado nos buracos do chedeiro*, serve para amparar a carga do carro de bois.
Fuinha- Pessoa avarenta, magra e mexeriqueira.
Fulano- Designação vaga de pessoa incerta ou de alguém que não se quer nomear.
Fuligem- Substância negra e espessa que o fumo dos combustíveis deposita nas paredes da conduta das chaminé, nas paredes e nos tectos da cozinha.
Fumeiro- Armação de madeira, sobre a lareira, destinada a secar e a defumar os enchidos, para os conservar.
Continua
publicado por casaspretas às 12:29
link do post | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. Linguagem e Cultura nos m...

. Linguagem e Cultura nos m...

. Linguagem e Cultura nos m...

. Linguagem e Cultura nos m...

. Lingua e Cultura nos mead...

. Lingua e Cultura nos mead...

. Lingua e Cultura nos mead...

. Língua e Cultura nos mead...

. Língua e Cultura nos mead...

. Lingua e Cultura nos mead...

.arquivos

. Março 2008

. Novembro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Outubro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Abril 2006

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds